? ºC Porto Velho - Ro
Noticia geral logo1

Geral

19/12/2017 12:37

SOLDADO DA BORRACHA DE 108 ANOS RESISTE À ESPERA DE DIREITOS

O Governo Vargas prometeu, sua família veio para Amazônia para ajudar a explorar a seringa, para trabalhar no “Esforço de Guerra”- Nordestinos que para  produzir a borracha que faltava no mundo, atravessaram as piores agruras em nome do Brasil, da Campanha da Borracha, contra o Nazismo e os países do eixo.

Distante da Capital Federal, mais de 3200 km separam Senhor Juvêncio do centro nervoso de Brasília – Praça dos Três Poderes, lugar onde está localizado o Panteão, o livro que guarda gravado o nome dos Hérois do Brasil, repousa em silêncio guardando a “Memória” daqueles que serviram para o engrandecimento da nação. Neste memorial, também está reconhecida a valorosa contribuição que os soldados da borracha deram à nação.

As notícias deste soldado da borracha, vem da cidade de Boca do Acre, interior do estado do Amazonas, vivendo isolado em um quarto de uma humilde residência de madeira, localizada no Bairro Macaxeiral, o antigo seringueiro recebe visita do Sindicato dos Soldados da Borracha de Rondônia. Em conversa, Juvêncio com a voz quase imperceptível, fala das dificuldades e sofrimentos do tempo dos antigos seringais, das madrugadas a fio que dedicara a produção da borracha,  das onças, cobras e bichos brabos que enfrentara para garantir a cota de borracha exigida pelo patrão e pelo governo do Brasil.

Com muita simplicidade, Senhor Juvêncio ergue a bainha de sua calça e mostra as cicatrizes de um ataque sofrido por um  Jacaré - Açu, fato ocorrido quando trabalhava em um seringal na calha do rio Purus, na época, perdia ele no início de uma manhã, parte do solado de um de seus pés, carregaria a partir de então, uma dolorosa lembrança para o resto de sua vida.

Cego em decorrência de várias décadas de uma vida dedicada à defumação da borracha, senhor Juvêncio aos 180 anos de idade, resiste bravamente, seja, enfrentando doenças respiratórias, seja, lutando contra  inflamações constantes em seus  olhos.  Doente, o ex-seringueiro gasta a maior parte do benefício que recebe no tratamento da saúde, sem plano de assistência médica, ou acesso a um atendimento de saúde pública de qualidade. Este considerável soldado da borracha, nestas circunstâncias, segue o pouco da vida que ainda lhe resta, sendo herói apenas  no Livro da Pátria em Brasília,  e esquecido no reconhecimento econômico pelo Brasil, em um lugar que antes,   fora um dos  “Front da Borracha”,  atual   cidade de Boca do Acre , estado do Amazonas.

Sob um gesto de curiosidade e um sorriso de satisfação quanto à visita do sindicato, senhor Juvêncio finaliza a conversa, demonstrando querer saber algo mais, em uma pergunta exclamava: E o dinheiro dos soldados da borracha está perto de sair? O Brasil vai reconhecer o que nos fizemos? Olhares se cruzavam, instante de silêncio, com um aperto de mão simbólico e palavras de agradecimentos Juvêncio se despedia, informado por representantes do sindicato que a Ação Judicial dos soldados da borracha, ainda corria no STJ. Na companhia de seu filho Raimundo, o velho seringueiro resiste ao revés da idade avançada, mostrando ainda na sua notável temperância de vida, esperança em ser reconhecido economicamente pelo Brasil, pelo trabalho que fez à nação.

Segundo o Vice-presidente do sindicato, George Telles, que viajou pessoalmente até o Amazonas para visitar o soldado da borracha, há uma profunda preocupação quanto à celeridade da ação dos soldados da borracha na justiça, pois os últimos seringueiros que trabalharam na época da guerra, em idades  bem avançadas já não podem mais esperar.

Afirma o sindicalista que a Lei Nº 13.466 de 12 de julho de 2017, assegura prioridade especial aos maiores de oitenta anos, e com essa Norma Jurídica, a entidade que representa os soldados da borracha, vem pedindo agilidade junto à justiça brasileira e demais órgãos.

 

Fonte: SINDSBOR


WWW.NOTICIAGERAL.COM: Este site acompanha diversos editoriais. Todos as notícias veículadas aqui são tratatas como simples suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Não nos responsabilizamos por quaisquer comentários de nosso internautas.

 

 

Redes Sociais

Ntinferior

Endereço do site: Av, São Paulo N. 1379, Ji-paraná-Ro, Telefones. 9 9946-9606 / 9 8441-2532

E-mail: noticiageral.com@gmail.com

 

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo