JARU – Polícia Civil desvenda assassinatos de Kenno e do advogado Português e prende suspeitos

0

 

Em cumprimento a Mandados de Prisão expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Jaru, homens do Serviço de Investigação e Captura (Sevic) da Polícia Civil prendeu nesta quinta (09) e sexta-feira (10) dois suspeitos de participarem de um duplo homicídio ocorrido em 16 de abril do ano passado em um restaurante de Jaru em plena luz do dia.

Após mais de 11 meses de investigações, o Sevic chegou aos nomes dos suspeitos de ser o mandante do crime e de dois homens que teriam sido contratados para a execução de Alessando Célia Rigato, o Kenno, que acabou culminando também na morte do advogado Carlos Arthur Wanderbroock, o popular Português.

Os suspeitos de terem participação no duplo homicídio são Marcelo Vicente Celestino, que foi preso na quinta-feira, e Gilson Oliveira dos Santos, preso nesta sexta-feira. Os dois tiveram a prisão provisória de 30 dias decretada pela Justiça e foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Jaru, mas ao serem interrogados negaram participação no crime. Eles realizaram Exames de Corpo de Delito e depois foram conduzidos à Casa de Detenção de Jaru.

Ainda segundo a Polícia, o mandante do crime teria sido Alexsandro Ferreira de Sousa, o popular Alex Cowboy, 34 anos, que foi assassinado no último dia 28 de janeiro numa estrada próximo cerca de 400 metros da Fazenda Bom Futuro, localizada no município de Seringueiras, onde estaria trabalhando como segurança.

Em Nota Oficial da Delegacia de Jaru, consta que ao longo destes meses, as investigações feitas pela Polícia Judiciária Estadual apontavam que o crime tinha relação com Alex e Marcelo, restando esclarecer a motivação e participação de terceiros.

Na referida nota, consta que policiais civis cumpriram com autorizações judiciais algumas buscas em imóveis, mandados de prisões e condução coercitiva ao longo do dia 09 deste mês, além de ouvirem testemunhas relativas a este e outros crimes.

Segundo a nota emitida pela Delegacia, com base em investigações em curso e depoimentos, Kenno teria mantido um relacionamento com uma ex-mulher de Alex, além disso houve um desentendimento entre ambos em uma fazenda na zona rural de Machadinho do Oeste, em 2015 que geraram conflitos entre ambos. Além disso, frequentemente Alex e seu carro eram revistados por policiais, em Jaru, acreditando aquele que isso era fruto de denúncias falsas de Kenno que ligavam Alex ao crime de Porte de Arma.

Na nota, conforme as investigações, na noite da véspera do duplo homicídio, Alex esteve no antigo Restaurante Oasis (atual Truck do Chef) e teria tido algum desentendimento com Kenno, tendo este feito ocorrência na Delegacia, alegando que fora ameaçado por Alex.

Dessa forma, no início da tarde do dia seguinte, Kenno foi executado e Carlos Arthur alvejado, de forma que este veio a óbito em um hospital da cidade, poucos minutos depois.

Nas últimas horas, testemunhas apontam que Gilson teria ceifado a vida das duas vítimas, enquanto Marcelo pilotou a moto, para receber uma recompensa que Alex entregou, pouco depois do crime, em sua casa, onde fazia um churrasco. A morte do advogado não fazia parte dos planos, mas aconteceu por algum fator nos momentos da execução do crime.

Ao longo das investigações, outros crimes foram constatados com as prisões em flagrantes de algumas pessoas, inclusive Alexsandro Ferreira de Souza.

Também foi apurado que Alex fazia parte de um grupo criminoso com sede em Jaru, fornecendo jagunços para fazendeiros e ofertando pistolagem na região, com vistas ter lucros. Além de Alex, os dois suspeitos de serem os executores também faziam parte deste grupo.

Ao longo das investigações, Alex foi preso transportando munições e alimentos para membros do grupo, na tarde do dia 22 de junho de 2016, próximo de Monte Negro, além do líder do grupo David Teixeira de Souza quando este levava armas, munições e dinheiro para o bando, nas proximidades de São Miguel do Guaporé, em 30 de agosto de 2016.

Ao final da nota assinada pelo delegado Dr. Salomão de Matos, este destaca que os trabalhos investigativos foram realizados em parceria com o Dr. Renato Batistela, além de servidores da Delegacia. Agradece ainda o intenso apoio e suporte fornecidos pelo Ministério Público de Rondônia, através do GAECO, e pelas equipes de investigações do Dr. Ricardo Rodrigues e Dr. Vinícius Lucena Tavares Bastos do município de Ariquemes. Ao final agradece o apoio do Serviço Reservado da Polícia Militar que participou das ações policiais realizadas nas últimas horas.

 

 

O CRIME

As duas vítimas estavam sentadas à mesa do restaurante Carne de Sol com outros dois amigos na hora do almoço quando um homem, usando capacete, entrou no estabelecimento comercial e desferiu pelos menos dois tiros na cabeça de Kenno, que veio a óbito instantaneamente, permanecendo sentado na cadeira. Português também foi atingido com um tiro que transfixou o braço e atingiu o pulmão, vindo a cair ao chão. Ele foi socorrido com vida pelos Bombeiros ao HM de Jaru, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito momentos depois.

O autor dos disparos correu e teria fugido com ajuda de um comparsa que o aguardava em uma motocicleta na Avenida Rio Branco.

SEGUNDO A POLÍCIA GILSON E MARCELO SÃO SUSPEITOS DE EXECUTAR O CRIME

PARA A POLÍCIA ALEX COWBOY SERIA O MANDANTE DO CRIME

 

KENNO E PORTUGUÊS FORAM ASSASSINADOS À LUZ DO DIA

 

A POLÍCIA ACREDITA QUE ESTA MOTO TERIA SIDO USADA NO CRIME

 

Matéria:Anoticiamais

 

Partilhe.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta