Alvo de operação da Polícia Federal, assessor do senador Marcos Rogério está foragido

Alvo de operação da Polícia Federal, assessor do senador Marcos Rogério está foragido

Um assessor do senador Marcos Rogério (DEM-RO) está foragido da Justiça desde a última quarta-feira (1º), quando foi alvo de uma operação da Polícia Federal, que investiga o envio de pelo menos uma tonelada de cocaína de Rondônia para o Ceará.

Marcelo Guimarães Cortez Leite teve um mandado de busca e apreensão cumprido em sua residência, no entanto, de acordo com informações preliminares, ele não foi localizado e o mandado de prisão preventiva ainda não foi cumprido.

A operação foi realizada na última quarta-feira (1º) com mais de 100 mandados de prisão e de busca e apreensão cumpridos em Porto Velho, Fortaleza, Boa Vista, Guajará-Mirim (RO), Cacoal (RO) e Santa Luzia (MG).

O senador informou por meio de nota à rádio CBN nesta quinta-feira (2) que ficou surpreso quando soube do possível envolvimento do assessor e que optou por exonerá-lo do cargo.

Confira a nota na íntegra

“Fui surpreendido com a notícia de busca e apreensão na casa de um dos meus assessores, lotado no escritório de apoio parlamentar de Porto Velho, RO. Não tenho informações se existe ou não envolvimento na prática de algum ilícito, mas em decorrência das investigações em curso decidi exonerá-lo, aguardando maiores esclarecimentos dos fatos.”

Operação Alcance

Uma organização criminosa, especializada no tráfico de drogas, foi alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) na quarta-feira (1°). Segundo investigações da Operação Alcance, os criminosos enviaram ao menos uma tonelada de cocaína de Rondônia para o Ceará.

O que se sabe até agora:

  • Os integrantes da quadrilha tinham duas atuações diferentes: em um deles, o núcleo ficava responsável na remessa de droga através de carretas para o Ceará e outro ‘cuidava’ da ocultação do patrimônio.
  • O dinheiro do tráfico era depositado em contas bancárias de interpostas pessoas e empresas, que então recebiam cerca de 3% do valor movimentado;
  • Uma dessas empresas investigadas nem tinha sede física e chegou a movimentar R$ 85 milhões somente em 2020;
  • Em 15 dias, o grupo chegou a receber R$ 1,5 milhão pelo tráfico;
  • Sete remessas de drogas enviadas de RO para o CE foram apreendidas, totalizando uma tonelada de cocaína;

Ainda de acordo com a PF, parte do patrimônio da organização criminosa era ‘escondido’ em postos de gasolina, empresas, garagem de veículos, sítios, motos aquáticas e imóveis de luxo.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *