Apesar de choque inicial ao deixar o Barcelona, Messi se dá bem em Paris

Apesar de choque inicial ao deixar o Barcelona, Messi se dá bem em Paris

Ter de deixar o Barcelona foi um choque para Lionel Messi, mas o atacante argentino disse que rostos familiares o ajudaram a se estabelecer no Paris St Germain.

O jogador de 34 anos, que iniciou a sua carreira profissional no Barça e é o melhor artilheiro com 672 gols, foi contratado pelo PSG por duas temporadas, depois de ter sido informado pelo Barcelona de que seu contrato não seria renovado.

“Voltei ao Barcelona (da Copa América em julho) para me preparar para a temporada, depois de aproveitar os dias extras de férias que o técnico (Ronald Koeman) me deu”, disse Messi ao France Football em entrevista divulgada no sábado (9).

“Tinha em mente que assinaria o meu contrato e começaria a treinar. Achei que estava tudo resolvido e que só faltava minha assinatura (no contrato).

“Mas, quando cheguei ao Barcelona, ​​disseram-me que já não era possível, que não podia ficar e que tinha de encontrar outro clube, porque o Barça não tinha dinheiro para renovar o meu contrato. Isso mudou os meus planos.

“Foi extremamente difícil de aguentar. Pensar que teríamos que deixar a nossa casa e que a família teria que mudar a sua rotina”, acrescentou o seis vezes vencedor da Bola de Ouro.

Messi, porém, se reencontrou com Neymar no PSG, depois que ele e o brasileiro jogaram juntos por quatro temporadas no Barcelona de 2013-17, e se juntou aos compatriotas Leandro Paredes e Angel Di Maria e ao técnico Mauricio Pochettino, também argentino.

“Essa foi uma grande parte da minha decisão porque eu sabia que estava vindo para um novo país e tinha que começar do zero. Saber que tinha amigos no vestiário me fez pensar que as coisas seriam mais fáceis de se adaptar”, disse Messi .

“E não me enganei, porque foi muito fácil de resolver, até porque tem muitos jogadores que falam espanhol, como eu, e alguns amigos como ‘Ney’, ‘Lea’ (Paredes), ‘Fideo’ (Di Maria) , que me ajudou quando eu cheguei. ”

Depois da experiência “muito dolorosa” de deixar o Barça, onde Messi chegou aos 13 anos, ele agora quer conquistar o quinto título da Liga dos Campeões.

Messi forma, com Neymar e o atacante francês Kylian Mbappe, um dos times ofensivos mais formidáveis ​​do mundo, mas sabe que é preciso trabalhar para encontrar o equilíbrio perfeito.

Embora Neymar e Messi se conheçam há anos, o atacante argentino e francês Mbappe ainda precisam construir um relacionamento.

“Com um jogador como ele, é fácil conviver. Além disso, Kylian fala um espanhol perfeito, por isso também temos boas trocas fora de campo”, disse Messi, que até agora marcou um gol em cinco jogos em todas as competições pelo PSG .

“Isso torna as coisas mais fáceis. Agora, estou aqui há pouco tempo, então ainda é um pouco cedo para tirar conclusões. Mas tenho certeza de que vai funcionar bem.”

Fonte: CNN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *