Após Paralimpíada de inverno, rondoniense sonha com voos altos na neve: “2026 promete”

Após Paralimpíada de inverno, rondoniense sonha com voos altos na neve: “2026 promete”

Há 15 dias, o rondoniense Cristian Ribeira, de 19 anos, se despediu dos Jogos Paralímpicos de Inverno realizados na China. Ele conseguiu ficar dentre os 10 melhores do esqui cross-country na modalidade revezamento misto.

A participação fechou a campanha brasileira nos jogos. Com Cristian, estiveram Aline Rocha, Guilherme Rocha e Robelson Lula completaram um trajeto de 2,5 km cada em 34min10s.

A participação de Cristian foi a segunda do esquiador na competição. Com 15 anos, foi o mais jovem a participar dos Jogos Paralímpicos de Inverno de 2018, em Pyeongchang. Cristian também foi porta-bandeira do Brasil no encerramento dos Jogos naquela edição. Nascido em Cerejeiras (RO), o atleta conversou com o ge.globo/ro.

– É sempre bom estar em evento dessa magnitude. Aproveitei muito toda a experiência. Sobre desempenho, gostei, mas claro que esperava mais. Todos esperam mas os chineses surpreenderam muito. A China surpreendeu a todos. – analisou.


Na neve, desde a primeira experiência, em 2016, o rondoniense viveu grandes evoluções. Em 2021, o desempenho ganhou grandes patamares.

Além da Paralímpiada, em 2022, Cristian Ribera já conquistou a prata, em Lillehammer, na Noruega, no Campeonato Mundial de esqui paralímpico. Ele já pensa no futuro.

– Agora é focar no que fizemos de bom e aumentar isso ao máximo. 2026 promete – afirma.

Para chegar até a modalidade, o atleta teve que passar por Jundiaí. Ribera começou no esporte aos 12 anos de idade e pouco tempo mais tarde já estaria na principal competição da carreira de um atleta paralímpico. Ele relembra com carinho dessa trajetória.

– Comecei em 2015, quando a Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) foi em Jundiaí mostrar o esporte. Fiquei muito curioso quando me falaram sobre um esporte de inverno, sobre esquiar, fui gostei muito, comecei a praticar e estou até hoje – relata.

Não é qualquer dia que um atleta sai de Cerejeiras (RO), no calor de Rondônia, para uma Paralimpíada de inverno. Cristian trilhou seu caminho que já se incia com sucesso e ele espera que possa servir de exemplo a outros atletas e modalidades.

– Espero que sim. Que possa inspirar outros rondonienses – finaliza.

GE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.