Apresentado balanço da Energisa sobre investimentos nos últimos três anos

Apresentado balanço da Energisa sobre investimentos nos últimos três anos

O presidente da Energisa, André Theobald, apresentou um panorama dos investimentos da empresa em Rondônia desde que o Grupo assumiu a concessão de distribuição do estado, em outubro de 2018, em evento realizado na Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero) na última segunda-feira (09).

O presidente destacou os investimentos de R $ 1,7 bilhão que serão concluídos até o final do ano, além das implicações para as pessoas e setores produtivos como frigoríficos, laticínios e mineração.“Quando chegamos ao estado, no fim de 2018, desenhamos um plano de transformação da infraestrutura elétrica com objetivo de apoiar o desenvolvimento de Rondônia. O que podemos dizer é que ao final dessa etapa não faltará mais energia para quem quer investir no estado”, disse Theobald.Segundo o presidente da Energisa, todos os 52 municípios de Rondônia receberam investimentos nos últimos três anos.

Fabrício Sampaio, diretor técnico da empresa, destacou os investimentos em quatro regiões: municípios ao longo da BR-429, bairros de Porto Velho, região do Vale do Anari e região de Ariquemes, onde a Energisa entregou recentemente a subestação Bom Futuro, permitindo a retomada da produção do mineral cassiterita.

“Esses são os principais centros econômicos, onde atendemos a solicitações de longa data da indústria e do agronegócio”, disse Sampaio, demonstrando o impacto nas indústrias de mineração e laticínios com vídeos.

Segundo Marcelo Thomé, presidente do Fiero, as perspectivas para o setor são boas. “O empenho da empresa na ampliação da rede e melhoria do sistema permitiu que as indústrias de Rondônia tivessem um abastecimento energético equilibrado e seguro, permitindo que aumentassem a produção e investissem, resultando em mais empregos e dinheiro para a população”, afirmou. . Thomé também destacou a relevância da relação Energisa-Senai para a formação de especialistas no setor elétrico.

Theobald também enfatizou os investimentos da empresa e a influência social da gestão. O acesso a programas sociais como a tarifa social de energia elétrica, a tarifa verde e o programa de eficiência energética mais do que triplicou, segundo ele.

Além disso, a corporação conquistou cerca de 60.000 novos clientes para o mercado elétrico, que é quase 200.000 pessoas físicas.

“Muitas dessas pessoas obtinham energia de forma irregular. Era uma energia ruim e de baixa qualidade que não permitia nem mesmo ligar uma máquina de costura. A transformação que desejamos vai além da construção de uma rede de energia; melhora a qualidade de vida da nossa população, promove o desenvolvimento e o empreendedorismo e proporciona emprego e dinheiro de forma sustentável ”, disse Theobald.

Fonte: Mixrondonia.com com informações de assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *