Com reabertura de fronteira para turistas vacinados Espanha deixa brasileiros de fora

Com reabertura de fronteira para turistas vacinados Espanha deixa brasileiros de fora

A Espanha, gigante do turismo, abriu suas fronteiras para permitir que qualquer pessoa vacinada contra a Covid-19 de todo o mundo entre no país a partir desta segunda-feira (7), na esperança de apoiar a recuperação do sofrido setor turístico do país. Aos brasileiros, por outro lado, continuam impondo restrições de entrada.

O turismo estrangeiro na Espanha, que era o segundo país mais visitado do mundo antes da epidemia, caiu 80% no ano passado, já que as restrições efetivamente interromperam as viagens de lazer, deixando suas praias, palácios e hotéis quase abandonados.

Os viajantes vacinados, principalmente dos Estados Unidos, têm permissão para entrar, independentemente de sua nação de origem.

O aeroporto Adolfo Suarez Madrid-Barajas permaneceu silencioso na manhã de segunda-feira, em comparação com o fluxo frenético de turistas antes da crise da Covid-19.

“Os controles aqui foram bastante rápidos, especialmente com o formulário online que preenchemos. Não tenho nada negativo a dizer. Você deve estar bem se preencheu todas as informações corretamente e fez a vacinação e o teste de PCR. Carla Grahuer, de Israel, observou: “Passei por ela sem dificuldades”.

Desde 24 de maio, a Espanha permite que visitantes de dez países não pertencentes à UE considerados de baixo risco entrem sem um teste PCR de coronavírus negativo.

O Reino Unido, o maior mercado turístico internacional da Espanha, está incluído, assim como a Austrália, Nova Zelândia e Israel, entre outros. A Espanha foi um dos países mais afetados pela pandemia na Europa, com mais de 78.000 mortes e 3,6 milhões de doenças devido a coronavírus.

No entanto, as taxas de infecção diminuíram e as vacinas estão avançando rapidamente, permitindo que a maioria dos toques de recolher no país sejam suspensos.

Brasil fica de fora por enquanto

Ao aceitar turistas de fora da União Europeia, o governo de Pedro Sánchez exige que todos sejam totalmente imunizados com uma das vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos ou pela Organização Mundial de Saúde, que incluem AstraZeneca, Pfizer, Moderna, Janssen e a chinesa Sinopharm e Coronavac.

Conseqüentemente, os brasileiros seriam incluídos neste critério. No entanto, para evitar a disseminação de novas variantes da Covid-19, o governo decidiu manter a entrada de pessoas do Brasil e da África do Sul temporariamente suspensa.

O certificado de vacinação também deve incluir os dados pessoais dos passageiros, bem como detalhes sobre a aplicação da vacina, incluindo o laboratório, a quantidade de doses e o dia em que foi aplicada. O artigo deve ser redigido em um dos seguintes idiomas: espanhol, francês, alemão ou inglês.

Fonte: Mixrondonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *