Deputado Adelino Follador defende importância da agricultura familiar e diz que Rondônia sabe ‘conciliar produção e preservação’

Deputado Adelino Follador defende importância da agricultura familiar e diz que Rondônia sabe ‘conciliar produção e preservação’

Em entrevista ao projeto ‘Amazônia Que Eu Quero’, da rádio CBN Amazônia, o deputado estadual Adelino Follador (DEM), de Rondônia, destacou a importância da agricultura para o estado e ao país, e afirmou que esse setor tem recebido uma atenção maior do parlamento estadual.

Na opinião do deputado, Rondônia tem conseguido conciliar a produção com a preservação ambiental e o agronegócio e a agricultura estão recebendo incentivos.

“O setor produtivo hoje está avançando cada vez mais e a gente tem incentivado, principalmente a agricultura familiar que é a que depende mais do poder público, seja da prefeitura, seja do estado ou do governo federal. E hoje, 80% da alimentação da área urbana depende da agricultura familiar. Nós temos o agronegócio, a agricultura de médio e de grande porte, mas a agricultura familiar é a que mais depende da gente”, disse Follador.

Ainda segundo o parlamentar, o avanço na regularização fundiária deve ser feito respeitando terras indígenas e áreas de preservação, como reservas, mas apenas regularizando será possível frear um avanço ainda maior nessas áreas.

 “Nós temos várias áreas que já estão consolidadas e nós temos que trabalhar para documentar essas áreas. Quando se vê na mídia nacional, na mídia internacional, falando que tem tanta irregularidade, tem tantas pessoas trabalhando clandestinamente, é porque não têm o documento. Então, tudo o que eles fazem na propriedade delas é considerado ilegal. Não são eles os culpados, é o estado. Quando eu falo estado, é o governo estadual, governo federal, então por isso nós estamos trabalhando aqui, trabalhamos no zoneamento, trabalhamos na regularização fundiária”, seguiu o deputado.

 “Esperamos que o governo federal, através do Incra, avance para dar o documento. Essas pessoas estão lá há 15, 20 anos e elas têm direito ao documento. O estado está atrasado. Respeitar as áreas indígenas, respeitar as reservas, agora se nós não regularizarmos esses que já estão com condições as pessoas vão avançando cada vez mais, então temos que regularizar aqueles que tem condições para frear o restante”, finalizou.

 Em dezembro de 2020, o governo de Rondônia sancionou a Lei de Regularização Fundiária n° 4.892, que criou a política de regularização fundiária no estado, que garante o direito à propriedade, beneficiando os produtores rurais com áreas inferiores a 2.500 hectares, que tiram sua fonte de renda da produção.

O projeto

A série de entrevistas com os deputados estaduais, sobre a atuação do parlamento e como essa atuação ajuda no desenvolvimento da região Amazônica, faz parte do projeto Amazônia Que Eu Quero, da Rede Amazônica.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *