É falso que vacina da Pfizer não é recomendada para adolescentes de 12 a 16 anos?

É falso que vacina da Pfizer não é recomendada para adolescentes de 12 a 16 anos?

Circula pelas redes sociais que a bula da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Pfizer indicaria que o imunizante não é recomendado para menores de 16 anos. O texto culpa ainda o Supremo Tribunal Federal (STF), os governadores e os prefeitos por usarem essa vacina em adolescentes. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Por acaso, alguém ja leu a BULA da PFIZER ?? Será o STF / GOVERNADORES / PREFEITOS tem o conhecimento da NÃO recomendação do laboratório sobre VACINA em MENORES DE 16 ANOS ??? Se o próprio laboratório não recomenda, MINISTÉRIO DA SAÚDE não recomenda, como o STF autoriza esse experimento sanitário em crianças a partir de 12 anos ???“
Legenda de imagem publicada no Facebook que, até as 18h de 5 de outubro de 2021, tinha 21 compartilhamentos


FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer pode ser aplicada em adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos, segundo a bula do imunizante disponível no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A versão que circula pelas redes sociais é um documento antigo e desatualizado, que foi já removido da página do órgão.

Para analisar a eficácia da vacina e se poderia ser aplicada com segurança em pessoas de 12 a 15 anos, a Pfizer realizou um novo ensaio clínico com voluntários dessa faixa etária. Ao todo, 2.260 adolescentes participaram da fase 3 dos testes.Em maio deste ano, a farmacêutica solicitou à Anvisa a ampliação da faixa etária de indicação da vacina, passando de 16 para 12 anos. Nos Estados Unidos, a medida foi autorizada já naquele mês, porém a Anvisa decidiu pedir mais dados do ensaio clínico. 

Por essa razão, no Brasil, o uso desse imunizante por adolescentes a partir de 12 anos só foi aprovado em junho. “A ampliação foi aprovada após a apresentação de estudos desenvolvidos pelo laboratório que indicaram a segurança e eficácia da vacina para este grupo. Os estudos foram desenvolvidos fora do Brasil e avaliados pela Anvisa”, disse a agência.

Uma versão dessa desinformação foi desmentida pela Lupa no início do mês, em checagem de um vídeo da comentarista da Jovem Pan Cristina Graeml. Ela também mencionou o dado falso sobre a bula da Pfizer, além de ter erroneamente associado a morte de adolescentes no país à vacinação. Dois dos jovens citados por Cristina não tinham sido imunizados e, no caso de um terceiro, o óbito não teve relação com a vacina.

Essa informação também foi desmentida pelo Estadão Verifica. 

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Fonte: Lupa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *