Em pouco mais de 2 anos, cerca de 3 mil pessoas morreram por complicações de câncer em RO

Em pouco mais de 2 anos, cerca de 3 mil pessoas morreram por complicações de câncer em RO

Um total de 3.033 pessoas morreram devido alguma complicação provocada por câncer em Rondônia. Esse número é referente aos anos de 2019, 2020 e o início de 2021.

Os dados foram solicitados pelo G1 via Lei de Acesso à Informação (LAI) à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Ao que se refere a pacientes em tratamento neste período, a pasta justificou que o sistema “não dispunha de dados tão atualizados e mensurados mês a mês”, mas que trabalham com ano a ano de diagnósticos.

Ainda de acordo com o levantamento, no total de óbitos, os homens são os que mais perderam a vida para a doença: 1.732.Já as mulheres correspondem a 1.300 no período solicitado. Uma morte é de criança.

Também foi pedido à pasta informações do quantitativo de pacientes que fizeram e estão em tratamento contra a doença. No entanto, foi respondido que os Registros Hospitalares de Câncer (RHC) e o Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP) não dispunham de dados tão atualizados e mensurados mês a mês.

Tipos de câncer mais comuns na população rondoniense

Segundo os dados, os cânceres mais presentes na população rondoniense são de:

  • pulmão,
  • traqueia,
  • cólon e reto,
  • pele não melanoma.

Nos homens ainda estão os cânceres de próstata e estômago. Já específico nas mulheres são de mama, colo do útero e brônquios.

Entre as crianças, com o câncer pediátrico (0 a 18 anos de idade), estão a doença no sangue, como a leucemia e o linfoma, tumores do sistema nervoso central, neuroblastomas, tumores de Wilms, dos rins, tumores de partes moles, tumores ósseos, retinoblastoma nos olhos.

Tratamento

Segundo o cirurgião oncológico, Rafael Brito, os trabalhos começam no momento do diagnóstico e só terminam com a alta do paciente.

“O combate contra o câncer é um termo bem complexo, pois envolve muitas etapas. A luta começa quando os pacientes têm os sinais e sintomas referentes à doença e vai terminar no fim do segmento, que é quando o paciente está de alta do tratamento”, explica.

O câncer, segundo o especialista, é definido como uma célula normal do organismo que recebeu algum tipo de modificação durante o ciclo. Na doença as células anormais se dividem e destroem o tecido do corpo.

Uma rede de apoio é oferecida pelo estado quando o paciente é diagnosticado com algum câncer. Conforme a Sesau, essa rede de atenção ao controle do câncer é composta pelos componentes de:

  • Atenção básica,
  • Atenção especializada ambulatorial,
  • Atenção especializada hospitalar e
  • Sistemas de apoio (dos quais fazem parte a central de regulação, logística, governança e dispensação de medicamentos).

O estado também possui uma unidade habilitada como Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), onde trata todos os tipos de câncer, duas unidades habilitadas como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), para tratamento do câncer nas duas macrorregiões de Rondônia.

Lista com locais para tratamento em Rondônia

Hospital de Amor em Porto Velho  — Foto: Divulgação

Hospital de Amor em Porto Velho — Foto: Divulgação

Porto Velho

  1. Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), fica no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, na Avenida Governador Jorge Teixeira, 3766, bairro Industrial
  2. Instituto São Pellegrino, localizado na Estrada de Santo Antônio, 5843, bairro Triângulo
  3. Hospital de Amor Amazônia, que fica no quilômetro 15, na BR-364,

Cacoal

  1. Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), no Hospital Regional de Cacoal
  2. Associação Assistência à Saúde São Daniel Comboni, que fica localizada na Avenida Rosilene Xavier Transpadini, nº 2200 no bairro Jardim Eldorado.

Alguns hábitos que podem ajudar a desenvolver o câncer

  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Exposição a certos tipos de radiação
  • Exposição ao sol sem proteção

Para os especialistas, a prevenção vem da mudança de hábitos. É importante ter autocuidado e isso inclui visitar médicos regularmente.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *