Famílias vulneráveis socialmente recebem refeições a R$ 2 através do Programa Prato Fácil

Famílias vulneráveis socialmente recebem refeições a R$ 2 através do Programa Prato Fácil

Empresários do setor alimentício que atendem ao Programa Prato Fácil, demonstraram no primeiro dia de funcionamento muito entusiamo, “Vemos que esse é um programa diferenciado, muito exemplar e inteligente”, disse Gustavo Semprebom, dono do Restaurante e Churrascaria Norte Sul em Porto Velho.

“Vemos que além de oferecer benefícios aos pobres, ao mesmo tempo ajuda a população de baixa renda ao acesso de alimentação saudável a baixo custo, isso inclusive contribui para os empresários do setor de alimentos, nesta era pandêmica”, acrescentou o empresário.

Comentários foram feitos ao receber o governador Marcos Rocha, acompanhado da primeira-dama e secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social, Luana Rocha, na última segunda-feira (17), momento esse que foi iniciado o atendimento do Programa Prato Fácil.

O Norte Sul é um dos cinco estabelecimentos credenciados na capital, ao lado do Seas, para entregar refeições saudáveis ao preço de R$ 2. Está localizado entre os bairros Norte e Sul, na Avenida Rio Madeira com a BR-364.

A previsão é acomodar cerca de 1.500 pessoas por dia, para um total de 33 mil pessoas por mês, entre o consumo no local e a retirada.

Governador e primeira dama acompanharam estréia do Programa

O governador e a secretária Luana, conforme relatado em entrevista coletiva no dia 11, acompanhou o início da operação em pelo menos três restaurantes, a começar pelo Portal Eventos, na BR-364, rumo a Cuiabá; Restaurante e Churrascaria do Gaúcho, na Avenida José Vieira Calaú, 6116, no bairro Cuniã, também na Zona Leste; e Norte Sul. SempreBom Restaurante e Café, 2645 Avenida Campos Sales; e o Restaurante Vista do Madeira, 191 Travessa Belizário Pena, bairro Triângulo, ambos no bairro Central, são os outros dois restaurantes certificados.

Beneficiários falam da satisfação ao acesso alimentar popular

Madeleine Cecília, de 6 anos, foi a primeira a comer no Portal Eventos, seguida por sua mãe Helen Josy, que trouxe outras sete lancheiras para sua casa no Residencial Morar Melhor.

Jaksoni dos Santos, morador da região de Três Marias, foi outro que ele trouxe. Ele disse que o “Prato Fácil” é uma ótima opção para famílias que não têm dinheiro para comer fora por causa do alto custo. Feijão, arroz, macarrão com alho e azeite, assado, salada crua e cozida e suco de maracujá fizeram parte do cardápio regular do Portal de Eventos.

“Este Programa é ainda melhor porque, ao contrário do Restaurante Famoso Prato Cheio, passamos a ter cinco locais, oferecendo a um maior número de pessoas a oportunidade de comer bem por um preço inferior.”

Marcos Rocha almoça em um dos restaurantes credenciados

O governador e a primeira-dama almoçaram na Churrascaria do Gaúcho, que bateu novo recorde de demanda no primeiro dia. Eles fizeram diversas visitas de norte ao sul da capital.

Ambos fizeram questão de conversar com os proprietários de cada estabelecimento, que expressaram entusiasmo pelo “Prato Fácil”, um dos programas desenvolvidos pelo governo do estado, por meio da SEAS, para aprimorar as políticas públicas de assistência social às famílias em situação de vulnerabilidade.

Famílias vulneráveis socialmente recebem refeições a R$ 2 através do Programa Prato Fácil

“Nosso objetivo é expandir este programa para mais restaurantes da Capital e até do interior”, disse Marcos Rocha, explicando a Paulo Rogério e Ana Paula, proprietários do Portal Eventos, que o Programa não é uma medida pontual de mitigar os efeitos da pandemia, mas que ela será contínua, enfatizando a importância da parceria dos empresários no credenciamento de seus negócios.

Empresários elogiam iniciativa que beneficia setor

“Este trabalho é sem dúvida 100 por cento positivo”. Declarou Clóvis Jair, dono da famosa Churrascaria do Gaúcho, avaliou a ideia do governo e de sua equipe como “uma ideia inteligente e bem pensada que vai beneficiar não só as famílias mais carentes, mas também servir de catalisador para os empresários do setor alimentício, retomando cada vez mais suas operações, abraçando todas as medidas para prevenir a covid-19″, finalizou.

Os restaurantes credenciados foram avaliados por meio do Edital de Convocação nº 156/2020 / CEL / SUPEL / RO, lançado em dezembro de 2020. Conforme destacou a Secretária Luana, para ter direito à alimentação é necessário que a pessoa física esteja cadastrada no Cadastro Único do Governo Federal (Cadnico), o que significa que devem ganhar mais de meio salário mínimo per capita ou até três salários mínimos por família e ter acesso ao Programa Prato Fácil.

Outro fato significativo é que o beneficiário deve portar um documento pessoal (CPF) de cada membro do núcleo familiar, bem como a soma correspondente ao número de participantes, quando for ao restaurante.

Como funciona o repasse de valores das refeições

Os consumidores recebem o mesmo benefício quando compram no local ou levam para casa; a diferença é coberta pelo governo, que usa recursos do Fundo Estadual de Erradicação da Pobreza (Fecoep), que está relacionado aos SEAS.

O governo repassa R$ 13,13 como complemento aos estabelecimentos, para consumo in loco, e R$ 11,21, para consumo em casa. “Porém, o cliente pagaria apenas R$ 2 por refeição”, explicou Luana Rocha, acrescentando que cada CPF receberia apenas uma refeição normal.

“Esse Programa oi uma bênção em minha vida. Eu desconhecia a existência disso. Acabei de descobrir por que fui pedir ajuda com minhas netas, quando uma pessoa indicou para comer aqui no Restaurante Norte Sul, que custava apenas R$ 2”, disse a dona de casa Maria Piedade, 65, enquanto comia com suas três netas.

Desempregados, Felipe Wesley e Ananda Caroline, que moram na região do Nova Esperança, foram primeiro à Churrascaria do Gaúcho, mas foram informados que a cota do dia (83 refeições) já havia sido preenchida, então foram ao Restaurante e Churrascaria Norte Sul . O limite diário de consumo no local é de 167 pratos, com um total de 250 para todos os estabelecimentos.

“Por estarmos desempregados, essa iniciativa é ideal para nós. Além disso, como são cinco locais credenciados, podemos ir para o mais próximo ou onde ainda houver comida disponível ”, argumentou Wesley.

Governo do estado de Rondônia investe para amenizar impactos da pandemia

O governador fez questão de enfatizar sua preocupação com a Saúde Pública, investindo em iniciativas para coibir a covid-19, assim como no setor econômico, buscando conciliar atos que evitavam maiores efeitos, em todas as suas instituições.

Entre 11h e 15h, os restaurantes credenciados servem refeições em média 22 dias úteis por mês. Nos feriados, o restaurante pode abrir, mas depende de cada estabelecimento.

Os beneficiários, incluindo todos os clientes, têm as mãos higienizadas com álcool gel 70% na entrada de ambos os estabelecimentos. Os beneficiários apresentam carteira de identidade no momento da retirada da refeição, o restaurante da consulta é cadastrado no banco de dados do sistema e a assinatura do usuário e o Número de Identificação Social (NIS) são coletados em relatório após a publicação do tíquete.

Os beneficiários também podem monitorar os locais onde as refeições ainda estão disponíveis no site do Seas em uma base regular. Se um restaurante se recusar a servir, mesmo que não tenha cumprido sua cota normal e ainda tenha comida, ele pode ser penalizado.

Fonte: Mixrondonia com informações de Assessoria (Governo de Rondônia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *