Futuro estádio do Atlético-MG mantém cronograma e atinge 41% de conclusão das obras; veja fotos

Futuro estádio do Atlético-MG mantém cronograma e atinge 41% de conclusão das obras; veja fotos

Enquanto lidera o Campeonato Brasileiro sendo o melhor mandante do torneio, utilizando o Mineirão, o Atlético-MG se aproxima de ter casa própria daqui um ano. É o cronograma original da Arena MRV, que segue cumprido. As obras atingiram 41% de conclusão, mantendo o planejamento que previa 41,9% de etapas realizadas ao fim do terceiro semestre de 2021.

O CEO da Arena MRV, Bruno Muzzi, informou a porcentagem em entrevista à Rádio Itatiaia.

– O projeto vem, até então, um sucesso, em termos de performance e cronograma. Por enquanto está no prazo. Entraremos em fase de complexidade, em atividades em paralelo e, se alguma descasar, pode haver atraso – disse.

No cronograma disponível no site de transparências do Atlético, o quadro de evolução das obras indica que o empreendimento chegará a 60% de realização ao fim deste ano. É possível imaginar que a Arena MRV seja realmente utilizada só em 2023, porém.

Tal sensação se dá pelo fato de a arena multiuso ter obtido aprovação de órgãos do poder público municipal após aceitar cumprimento de algumas exigências, chamadas de “contrapartidas” e “medidas compensatórias”.

São várias etapas e até mesmo obras paralelas que irão impactar a região do bairro Califórnia, principalmente as intervenções viárias. As contrapartidas da Prefeitura estão na casa dos R$ 150 milhões.

No projeto lá em 2018, quando o conselho do Atlético aprovou a venda de 50,1% do shopping Diamond Mall para viabilizar o orçamento da arena, o estádio estava ao custo de R$ 410 milhões. Houve correções, mudanças e o valor total da obra passou a ser R$ 560 milhões.

Além da venda de mais da metade do centro comercial, outra fonte de recurso do clube são camarotes, cadeiras cativas, naming rights e luvas de exploração comercial.

– Nas capitais brasileiras, estima-se contrapartidas em 5% nas grandes construções. Estaríamos falando de contrapartidas na casa de R$ 20 milhões. A gente sabia do impacto, estimamos na casa dos R$ 50 milhões. Com o decorrer do processo, houve um peso desproporcional para a gente. É pesado.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *