Implantação de mecanismos através de projeto pretende rastrear setor aquícola em Rondônia

Implantação de mecanismos através de projeto pretende rastrear setor aquícola em Rondônia

O governo de Rondônia começou esta semana por meio da Secretaria de Agricultura (Seagri), a visitar alguns laboratórios de criação de peixes juvenis no estado para apoiar a Secretaria de Desenvolvimento e Manejo da Aquicultura (Depoa).

A Secretaria de Aqüicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAP / Mapa) está desenvolvendo o projeto “Boas Práticas para Formas Jovens de Produção” (BPPFJ).

O projeto visa implementar um mecanismo de autocontrole, que torne rastreáveis as formas jovens da cadeia produtiva da aqüicultura em cada estado do país. Este trabalho é coordenado com a Seagri por instituições rurais e aquicultura em áreas urbanas.

“Além de futuras consultas públicas e seminários com a secretaria para subsidiar a Lei Normativa, o projeto também vem desenvolvendo atividades envolvendo ferramentas como o diagnóstico participativo”.

A lei vai implementar boas práticas de gestão em laboratórios, trabalho de padronização. Maria Mirtes, diretora da aquicultura e da pesca em Seagri, explicou que de acordo com as espécies produzidas em todo o país são muito jovens.

Visita incluiu apresentação de laboratórios e encontro virtual

Durante a visita, foram realizadas filmagens no local onde os pescadores apresentaram seu laboratório e, em seguida, foi realizado um encontro virtual. Participaram juntos os pescadores que atuam na forma de juvenis e a comissão coordenadora de aquicultura.

O gerente disse que o foco dessa investigação preliminar em Rondônia são as espécies de tambaqui (Colossoma macropomum). “Este trabalho vai produzir relatórios que têm as características da morfologia jovem do estado e podem ser rastreados no futuro”, destacou.

Os benefícios do projeto incluem:

  • Produção de formas jovens com qualidade de tecnologia animal;
  • Desenvolvimento de planos de prevenção e controle de saúde para a aquicultura nacional;
  • Produção de formas jovens com garantias mínimas de saúde e biossegurança e bem-estar animal; competitividade nos mercados nacional e internacional;
  • Rastreabilidade da empresa de uma forma jovem;
  • Melhorar a saúde da engorda brasileira e o desempenho técnico do zoológico,
  • Tornar a cadeia produtiva da aqüicultura cada vez mais especializada.

Segundo o secretário da Seagri, Evandro Padovani, a Secretaria vem buscando colaborações com o Governo Federal, entidades e universidades do setor produtivo da piscicultura, por meio do Programa Peixe Saudável, para a implantação de novas e modernas tecnologias na aquicultura do Estado, com o objetivo de chegar aos piscicultores.

“Com isso, poderemos garantir a rastreabilidade do nosso pescado produzido em Rondônia, bem como um produto de alta qualidade e produtividade, garantindo aos piscicultores uma margem de lucro maior em seus negócios”, finalizou.

Fonte: Mixrondonia com informações da Assessoria do Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *