Inaugurado cabo submarino de fibra ótica que liga Brasil e Portugal

Inaugurado cabo submarino de fibra ótica que liga Brasil e Portugal

Uma série de cabos submarinos conectando Brasil e Portugal foi inaugurada nesta terça-feira (01). A nova tecnologia criará um framework capaz de lidar com o volume de dados gerado pelas redes 5G e agilizará o intercâmbio direto de informações entre a América do Sul e a Europa, com mais de 6.000 quilômetros de fibra óptica. No momento, qualquer informação que saia do Brasil deve passar pelos Estados Unidos.

O cabo está atracado na Praia do Futuro, em Fortaleza. O equipamento passa pelas cidades brasileiras de São Paulo e Rio de Janeiro, além do arquipélago de Cabo Verde e da Ilha de Santa Cruz, atingindo 5 quilômetros de profundidade. O equipamento passa por Sines e Lisboa em Portugal, Madrid na Espanha e Marselha na França na Europa.

A nova estrutura suportará fluxo de dados de 72 Terabits por segundo e latência de 60 milissegundos (tempo entre a instrução e a resposta).

O negócio tem um contrato por um período de 25 anos. Os cabos estão sendo instalados como parte da iniciativa Bella, que é uma rede de pesquisa e educação que conecta a Europa e a América Latina.

De acordo com uma carta emitida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, a Ellalink, proprietária e operadora de serviços de fibra, investiu cerca de 150 milhões de euros, com a Comissão Europeia contribuindo com cerca de 25 milhões de euros. A operação de instalação de cabos no Brasil custou cerca de 8,9 milhões de euros.

Realizado em Sines, o evento “Digital Assembly 2021”, organizado pela Comissão Europeia e também pelo Conselho da União Europeia, que atualmente é liderado por Portugal, enfatizou a oficialização de tecnologias inovadoras.

Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, afirmou que o link aprimorado pode se beneficiar no combate à Covid-19. Ele afirmou: “Somente por meio da ciência temos a chance de vencer.”

Mercosul – União Europeia

Segundo Marcos Pontes, a construção do cabo permitirá maior colaboração entre os países da OCDE e também do eixo Mercosul-UE.

O Brasil também busca a aprovação do acordo de livre comércio entre os dois blocos, além de uma cadeira na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. O combate ao desmatamento e a preservação do meio ambiente são dois dos obstáculos mais significativos para o andamento do acordo.

A mudança climática, segundo o ministro, é uma das maiores preocupações da humanidade que pode ser tratada por meio de estudos, que serão auxiliados pelo novo quadro.

Ursula von der Leyen, a Presidente da Comissão Europeia, enfatizou o desejo do grupo de promover a digitalização de processos e mencionou a colaboração digital entre nações europeias e não europeias, embora não incluísse o Brasil.

O novo conjunto de cabos, segundo o dirigente do grupo, representa um “caminho digital de pesquisa e educação” e um renascimento da conexão com a América Latina.

Fonte: Mixrondonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *