Interligação de Rondônia por rota de rodovia ao leste da Bahia é debatido

Interligação de Rondônia por rota de rodovia ao leste da Bahia é debatido

O Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) está trabalhando nas obras de melhoria da rodovia BR-242, também conhecida como Milton Santos, que corta o Brasil de maneira transversal.

Está prevista a expansão para o estado de Rondônia, chegando eventualmente ao Oceano Pacífico. Na última sexta-feira, o diretor-geral da agência, General Antônio Santos Filho, se reuniu com o vice-governador de Rondônia, José Jodan, para explorar os melhores caminhos para viabilizar economicamente a construção.

O encontro teve uma apresentação virtual do percurso a ser construído para a conclusão da rodovia com a participação de parlamentares e prefeitos de Rondônia e Mato Grosso, além de empresários e membros da sociedade civil.

Condições de traçado na interligação

Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, diretor de Planejamento e Pesquisa do DNIT, demonstrou as condições do traçado que liga os estados da Bahia, Tocantins, Mato Grosso e Rondônia contornando as reservas indígenas.

Segundo ele, o vínculo com o Estado de Rondônia ainda está sendo investigado. “Vale a pena estudar esse trecho,  podemos economizar dinheiro pegando as estradas existentes”, ele ilustrou. O melhor caminho para a rodovia, segundo Luiz Guilherme, é seguir a rota do projeto até Mato Grosso e depois se conectar com a BR-364.

Jodan esclareceu uma alternativa e solicitou à área técnica que procedesse com a opção da BR-242 na saída de Mato Grosso com destino a Machadinho do Oeste. Usar a BR-364 para novos fluxos rodoviários, acredita ele, sufocaria a rodovia.

“No rio Machado, temos a opção de reativar o antigo Porto II de Novembro, que pode receber navios de grande porte”, disse. O deputado disse ainda que os portos de Porto Velho já estão operando com capacidade máxima.

Discussões visam o melhor acesso

O conceito foi bem recebido pelos presentes e, em segundo lugar, o diretor de pesquisa do Dnit afirmou que, à medida que o projeto avança, essas discussões ajudariam a determinar o melhor acesso para o Brasil.

Luiz Mello afirmou ainda que o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (Evtea) está sendo elaborado paralelamente ao cenário. “Teríamos condições de arcar com as licenças ambientais e teríamos a viabilidade de toda a obra com uma Evtea excelente”, concluiu.

O Dnit também acompanha a questão da legislação pertinente ao trecho no Estado de Rondônia, bem como quaisquer demandas que o órgão possa fazer à unidade federativa, segundo o General Santos Filho. A previsão é que o projeto seja concluído em alguns anos.

Senador de Rondônia Marcos Rogério, Superintendente de Integração do Estado de Rondônia, Augusto Leonel, Pedro Marcelo Fernandes Pereira, prefeito de Cujubim, Levi Ribeiro, prefeito de São José do Rio Claro – MT, Iraldo Ebertz, Ex prefeito de Tapurah – MT, Gilberto Cattani, Representante do Estado de Mato Grosso, e assessores também participaram da conferência.

Fonte: Mixrondonia com informações da Assessoria do Governo de Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *