Lançada plataforma digital para emissão de autorização ao uso controlado de fogo em Rondônia

Lançada plataforma digital para emissão de autorização ao uso controlado de fogo em Rondônia

A plataforma digital para autorização do uso do fogo na vegetação foi lançada oficialmente nesta sexta-feira (11) pelo Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e da Coordenação de Desenvolvimento Florestal (Codef).

A nova ferramenta, que pode ser encontrada no Portal do Governo de Rondônia, promete agilizar autorizações antes trabalhosas. Eles agora são criados pelas Gerências Regionais de Meio Ambiente (Ergas) como parte da modernização, permitindo a análise online e a emissão completa.

Segundo Marclio Leite Lopes, secretário da Sedam, a implantação do sistema digital também evita que os usuários tenham que passar por procedimentos burocráticos, já que muitos trabalham diretamente no campo e precisam fazer limpeza após as lavouras ou pecuária.

“As pessoas exigem um Sedam rápido para que seus serviços sejam entregues em menos tempo, além de autonomia para os Ergas gerenciarem e codificarem todo o processo de autorizações.”

Embora os comportamentos mencionados sejam relativamente usuais para trabalhadores rurais nas comunidades do interior, queimar em locais sem permissão do órgão ambiental competente pode resultar em danos ou até mesmo em penalidades criminais se o incêndio sair do controle.

Como resultado, o produtor ou pecuarista deve primeiro obter permissão para iniciar a “Queima Controlada”, uma atividade que é respaldada pela Portaria nº 229, promulgada em 27 de julho de 2017. Algumas das principais diretrizes foram criadas. etapas devem ser usadas no método, por exemplo:

Os vizinhos devem ser informados com três dias úteis de antecedência sobre o local, dia e hora de queima planejados. Crie aceiros tendo em conta as peculiaridades do terreno e a altura das plantas.

Como o fogo se espalha mais rápido em terrenos inclinados, fossos devem ser cavados na metade inferior para evitar que o material em brasa saia da região queimada. Os aceiros devem ter pelo menos três metros de largura.

Salvaguardar fronteiras e rodovias, inclusive com aceiros, árvores isoladas, cercas e outros aprimoramentos. Para mitigar os efeitos do fogo, deve-se preservar o limite de remanescentes de vegetação.

O tempo de queima prescrito deve ser respeitado, idealmente em condições mais frias. Como a temperatura é mais baixa e a vegetação mais úmida no início da manhã, no final da tarde ou à noite, considere turnos mais seguros.

A desobediência é punível nos termos do artigo 41.º da Lei de Crimes Ambientais e do artigo 58.º do seu Decreto n.º 6.514 / 2008. O proprietário do local onde começou o incêndio será responsável por quaisquer danos causados a terceiros.

Se as condições climáticas ou ambientais forem desfavoráveis, a Sedam adiará a queima controlada, permitindo que um representante do órgão compareça no dia e horário da queima. Cópia da autorização de queima controlada deve ser entregue à Coordenação de Desenvolvimento Florestal e à Coordenação de Proteção Ambiental das regionais que a expedem (Copam).

Conforme estabelece a portaria citada, o documento é válido por até 15 dias, podendo ser prorrogado por igual período mediante apresentação de requerimento fundamentado.

O secretário da Sedam menciona ainda que está a ser considerada a inclusão de outros serviços de autorização no portal do Governo, com o objetivo de agilizar e tornar mais transparente a questão da atividade florestal.

“Este é um ajuste significativo na estrutura de nossa missão diante de um cenário de pandemia, tentar limitar o acesso físico ao mesmo tempo em que permite aos usuários conceder autorizações online”, afirma o secretário.

Foi realizado esta sexta-feira um treinamento on-line para servidores estaduais da Secretaria e de outras Ergas com o objetivo de capacitá-los a adquirir habilidades de operacionalização do sistema, a fim de melhorar a funcionalidade da plataforma.

Durante o seminário de capacitação, Diego Enrique Gonçalves Monteiro, Coordenador de Desenvolvimento Florestal, orientou e corrigiu as preocupações das pessoas. “Ao visitar o portal, o usuário poderá realizar 100% dos procedimentos online, desde o registro até a emissão final do documento em Portable Document Format (PDF)”, continua.

Os campos “Dados do Usuário Requerente”; “Dados do Responsável Técnico (caso tenha)”; “Dados do Imóvel” e “Informações Sobre a Queima” são todos obrigatórios.

Depois de enviar os documentos pessoais, o usuário pode acompanhar o andamento da solicitação clicando no ícone “Monitorar o andamento da solicitação” na parte inferior da página.

É necessário anotar o número do documento no final deste formulário para mantê-lo com você até o dia em que imprimir a permissão. As partes interessadas devem entrar em contato conosco pelo telefone (69) 98482-8710 se tiverem alguma dúvida.

“Sempre fazemos uma intensa campanha de conscientização pública em nosso site oficial e na mídia local, em colaboração com outras secretarias e órgãos públicos, sobre a importância da realização de disparos de autorização, orientações e fiscalizações de caráter sensibilizante em relação à Educação Ambiental ao cidadão, além de estar à disposição do público para esclarecer quaisquer dúvidas sobre esse tema fundamental ”, diz o comunicado.

O secretário da Sedam também informa à comunidade sobre o início do verão amazônico, que vai de junho a novembro e apresenta um clima quente e seco com temperaturas em torno de 38 graus Celsius (graus Celsius).

“Pessoas que têm atitudes isoladas em relação às queimadas, por falta de técnica e não cumprimento das normas, acabam com incêndios enormes. Torna-se um fator de perigo dependendo do clima, causando preocupações à saúde do indivíduo ”, completa.

Desde o início deste ano, Sedam tomou uma série de medidas para salvaguardar o direito da população a um meio ambiente saudável e ecologicamente equilibrado, primeiro se concentrando em esforços que aumentem a conscientização e reduzam o número de focos de incêndios ilegais em propriedades privadas e em áreas florestais. A Coordenação Estadual de Educação Ambiental (Ceam), em colaboração com diversos órgãos e municípios do estado, viabilizou esse esforço.

Fonte: Mixrondonia.com com informações de Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *