Marcelo Freixo não disse que estuda criar ‘Instituto Lázaro Barbosa’?

Marcelo Freixo não disse que estuda criar ‘Instituto Lázaro Barbosa’?

Circula por grupos de WhatsApp que o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) fez uma representação contra policiais de Goiás que atuaram nas buscas de Lázaro Barbosa, suspeito de assassinar quatro pessoas no Distrito Federal. A publicação diz, ainda, que o deputado declarou que estuda a criação do “Instituto Lázaro Barbosa” para que a “história e o exemplo de resistência” não sejam esquecidas. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“NOTA DE REPÚDIO

Deputado Marcelo Freixo e movimentos dos Direitos Humanos entram com representação contra policiais de Goiás para investigar sé m houve ou não excessos no Brutal Assassinato de Lázaro Barbosa‘Testemunhas afirmam que ele se entregaria logo após descarregar as três armas que possuía’‘Todos nós temos direito a vida’ diz deputado em sua ação.Deputado Marcelo Freixo pede também que Estado indenize a Família de Lázaro e já estuda criar o Instituto Lázaro Barbosa para que a história e o exemplo de resistência de Lázaro não caia no ostracismo”

Texto em post que circula em grupos de WhatsApp 

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) nunca entrou com uma representação contra a polícia de Goiás e nem pediu investigação sobre a morte de Lázaro Barbosa, ocorrida na última segunda-feira (28). Também não há qualquer registro público de que o político pediu indenização para a família do criminoso. Por fim, ele jamais disse publicamente que estuda criar um instituto em nome de Lázaro. Por meio de sua assessoria de imprensa, Freixo afirmou que essas alegações são falsas. 

Lupa analisou as redes sociais (Twitter e Facebook) do deputado e não há qualquer menção a favor de Lázaro. Ele também não fez nenhum comentário sobre as buscas realizadas ao longo de 20 dias e que culminaram com a morte do suspeito. As únicas vezes que Freixo mencionou o caso foram para desmentir conteúdos envolvendo seu nome.  

Depois da morte de Lázaro, ocorrida no dia 28, o deputado fez apenas um discurso na Câmara, no dia 29 de junho. Nesse dia, ele discursou sobre as suspeitas envolvendo compras de vacinas contra a Covid-19. Ele não mencionou Lázaro ou a atuação da polícia de Goiás em nenhum momento. 

Em nota enviada pelo WhatsApp, a assessoria de imprensa do deputado afirmou que “milícias digitais estão espalhando mais mentiras absurdas sobre mim” e que “jamais entrei com representação contra os policiais de Goiás que atuaram no caso Lázaro. Também não pedi indenização para a família do criminoso e nem sugeri a criação do Instituto Lázaro Barbosa”. A nota diz ainda que “espalhar esse tipo de fake news contra opositores do governo é uma tentativa criminosa de tentar criar uma cortina de fumaça para tentar esconder os crimes do presidente e seus aliados na compra de vacinas.”

Lupa desmentiu outra declaração falsa de Freixo sobre Lázaro. Na segunda, circulou pelas redes sociais que o deputado teria dito que seus advogados teriam convencido o Conselho Nacional de Justiça de que “Lázaro é uma vítima da perseguição policial aos negros!”, o que não é verdade. Freixo nunca afirmou isso.

Esse conteúdo também foi verificado pelo Aos Fatos.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de Lupa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *