Medalha de ouro em Tóquio valerá R$ 250 mil a atletas brasileiros

Medalha de ouro em Tóquio valerá R$ 250 mil a atletas brasileiros

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) informou aos atletas que competem nos Jogos de Tóquio nesta quarta-feira, que a chegada ao pódio pode resultar em um bônus de até R $ 250 mil, dependendo da cor da medalha.

A soma recorde é sete vezes maior que a da última edição dos Jogos, no Rio em 2016, quando todos os medalhistas receberam bônus de até R $ 35 mil, independentemente de terem ganho ouro, prata ou bronze.

Serão pagos R $ 250 mil aos atletas campeões olímpicos em modalidades esportivas individuais. A medalha de prata vai valer R $ 150 mil, enquanto o bronze vai valer R $ 100 mil.

Os seguintes valores serão distribuídos entre equipes de até seis atletas: R $ 500 mil (ouro), R $ 300 mil (prata) e R $ 200 mil (bronze) (bronze). Os atletas das modalidades coletivas vão ganhar R $ 750 mil (ouro), R $ 450 mil (prata) e R $ 300 mil (bronze), todos divididos. Os atletas que ganham ouro em várias competições acumulam os valores e são pagos a cada conquista.

“Este prêmio homenageia e reconhece o empenho dos atletas, que são a força motriz do movimento olímpico. O prêmio é baseado na meritocracia, que é uma de nossas bases”, afirmou o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira.

A meta do comitê em Tóquio é superar o total de medalhas do país no Rio 2016, quando terminou em 13º lugar geral, com 19 pódios, sendo sete de ouro, seis de prata e seis de bronze.

Porém, ao contrário das edições anteriores dos Jogos, a organização evita discutir a quantidade exata de medalhas. A Seleção Brasileira viajará para o Japão com cerca de 300 atletas; oficialmente, 272 vagas foram confirmadas, mas muitas modalidades ainda aguardam um índice olímpico.

Ao contrário das Olimpíadas do Rio, quando a recompensa era paga diretamente pelos patrocinadores das Olimpíadas e do COB, o dinheiro agora vem de recursos privados do comitê, que não incluem o repasse de 1,7% do valor apostado em todas as loterias do país.

Apesar do aumento no número de medalhistas em relação a 2016, a realidade do Brasil continua bem aquém dos principais países europeus. Por exemplo, o Comitê Olímpico Italiano revelou esta semana que a medalha de bronze em Tóquio será de € 60.000 (R $ 360.000), a medalha de prata valerá € 90.000 (R $ 540.000) e a medalha de ouro valerá € 180.000 (cerca de R $ 1 milhão).

“A entrega das medalhas aos atletas só foi possível devido ao esforço de redução de custos e reestruturação financeira do COB. Além disso, fechamos contratos de patrocínios adicionais, que foram fundamentais para colocarmos essa atividade em prática, principalmente diante da um cenário inusitado e desafiador devido à pandemia ”, revelou Rogério Sampaio, diretor-geral do COB.

Os atletas devem receber o prêmio no Prêmio Brasil Olímpico até o final do ano. O incentivo também está disponível para os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 2022.

O COB está gastando R $ 60 milhões na logística da viagem e no tempo de aclimatação da seleção brasileira em Tóquio. Neste ano, as confederações receberam mais R $ 150 milhões para projetos de treinamento e competições de preparação, além de R $ 12 milhões para o desenvolvimento das categorias juvenis e R $ 30 milhões apenas para as modalidades com melhor possibilidade de subir ao pódio.

Funcionários do setor de logística e infraestrutura do COB já chegaram ao Japão. A canoagem slalom será a primeira competidora a chegar ao país no dia 6 de julho, com a cerimônia de abertura dos Jogos no dia 23 de julho. A Seleção Brasileira usará bases de apoio antes e durante as Olimpíadas.

“Estamos nos aproximando do final do nosso planejamento operacional, fazendo os ajustes finais nos protocolos de segurança para o transporte de atletas para o Japão. Apesar de todos os desafios, a expectativa é que o Brasil tenha uma forte atuação nos Jogos Olímpicos deste ano. Atletas brasileiros “O desempenho em competições internacionais tem sido notável nos últimos anos. Há muita fé nesta excelente representação”, afirmou Jorge Bichara, Diretor de Esportes do COB.

Fonte: Mixrondonia.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *