Nova atualização para zoneamento agrícola de risco climático para girassol

Nova atualização para zoneamento agrícola de risco climático para girassol

As Portarias 176 a 202, promulgadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), revisam o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para a cultura do girassol no Brasil. Zarc é um método de análise de risco que se baseia na variabilidade do clima e leva em consideração as variáveis da cultura e do solo.

“No caso do girassol, determinamos os locais e épocas de semeadura para sua produção com probabilidade de perda de produtividade inferior a 20%, 30% e 40% devido a eventos climáticos adversos”, pesquisador José Renato Bouças Farias da Agropecuária Brasileira Empresa de Pesquisa (Embrapa) Soja afirmou.

Pesquisadores da Embrapa aplicaram novas abordagens para atualizar o Zarc, ampliando o zoneamento de risco climático do girassol para todo o Brasil. Desafios de água, temperatura e fitossanitários foram avaliados como novos fatores de risco.

“Uma nova metodologia de abordagem de riscos relacionados à disponibilidade de água no solo também foi desenvolvida”, continuou Farias, “deixando-a pronta para abraçar novas noções de manejo do solo e sistemas de produção associados ao risco climático em futuros trabalhos de zoneamento.”

O girassol, de acordo com o estudo, não é afetado por mudanças de latitude e altitude, tem tolerância a baixas temperaturas e é resistente à seca.

Quando o assunto é a necessidade de água para a produção de girassóis, Farias afirma que cerca de 500 a 700 mm de água disponível, dividida igualmente ao longo do ciclo, seria o ideal.

“O déficit hídrico é mais sensível durante a semeadura e a emergência das plantas, e especialmente do início do desenvolvimento do capítulo até o início da floração, seguido pela produção e enchimento de grãos.”

A ameaça das mudanças climáticas O zoneamento agrícola tenta reduzir os riscos relacionados ao clima, permitindo que os produtores determinem a época ideal para semear, levando em consideração a área do país, a cultura e os vários tipos de solo.

O modelo agrometeorológico leva em consideração fatores como temperatura, precipitação, umidade relativa, ocorrência de geadas, disponibilidade de água no solo, demanda de água pela cultura e fatores geográficos que impactam diretamente a produção agrícola (altitude, latitude e longitude).

Os agricultores que seguem o conselho da Zarc são menos vulneráveis às mudanças climáticas e podem ser elegíveis para o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e o Programa de Subsídio ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). Além disso, muitas instituições financeiras fornecem crédito rural apenas para safras cultivadas em áreas designadas.

Os produtores rurais e demais agentes do agronegócio agora podem ter acesso mais prático ao material oficial do Zarc por meio de tablets e smartphones, facilitando o assessoramento nos programas de política agrícola do Governo Federal.

Zarc Plantio Certo, aplicativo para smartphone desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas / SP), está disponível nas lojas de aplicativos iOS e Android.

A interface do “Painel de indicação de risco” também pode ser usada para visualizar e baixar os resultados do Zarc.

Fonte: Mixrondonia.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *