Operação encerra festas clandestinas após denúncias e fiscaliza 55 estabelecimentos em Porto Velho

Operação encerra festas clandestinas após denúncias e fiscaliza 55 estabelecimentos em Porto Velho

Denúncias anônimas levaram autoridades até festas clandestinas que estavam sendo realizadas em Porto Velho entre a noite de sábado (20) e a madrugada deste domingo (21). Nesta fase da operação Emergência, que contou 51 agentes de segurança, foram vistoriados 55 estabelecimentos da capital.

Em uma das festas encerradas, segundo o Corpo de Bombeiros, os participantes ingeriam bebida alcoólica e compartilhavam o mesmo narguilé. As pessoas também não usavam máscara.

“O que vimos hoje é que realmente a população que aglomera muitas das vezes é aquela que faz aqueles eventos fora da curva, ou seja, festas clandestinas que continuam em alta e prejudicando toda a sociedade”, disse o coronel Gilvander Gregório de Lima, dos Bombeiros.

Ainda de acordo com a equipe de fiscalização, outro grande problema tem sido as constantes denúncias da venda e consumo de álcool nos finais de semana. Com o atual decreto, os estabelecimentos comerciais não podem vender nada de bebida alcóolica a partir de 18h de sexta-feira.

Ao todo, 55 estabelecimentos foram vistoriados, sendo que 44 deles não estavam funcionando na noite de sábado. Porém, ao fim da operação, as equipes de fiscalização emitiram quatro notificações aos donos do estabelecimentos e registraram seis termos circunstanciado de ocorrência (TCO).

Um estabelecimento foi desativado durante a noite de sábado e quatro pessoas foram autuadas por estarem descumprindo o decreto.

Operação Emergência

O trabalho de fiscalização é coordenador pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM), com apoio da da Polícia Militar (PM), Polícia Civil, da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa),Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e da Prefeitura de Porto Velho, por meio do Departamento de Vigilância Sanitária, Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz), Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb). G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *