Países pobres rejeitaram mais de 100 milhões de vacinas contra Covid em dezembro, diz Unicef

Países pobres rejeitaram mais de 100 milhões de vacinas contra Covid em dezembro, diz Unicef

Os países mais pobres rejeitaram em dezembro mais de 100 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 distribuídas pelo programa Covax, principalmente devido ao prazo de validade, revelou uma autoridade do Unicef ​​nesta quinta-feira (13).

O Unicef é o Fundo da ONU para a Infância, e o Covax é uma iniciativa da OMS (Organização Mundial da Saúde) e de outras entidades para comprar e distribuir vacinas contra Covid-19 aos países mais pobres.

“Mais de 100 milhões foram rejeitados apenas em dezembro”, afirmou Etleva Kadilli, diretora da divisão de suprimentos da Unicef, ao Parlamento europeu.

Procurada pela agência de notícias Reuters, o Unicef não informou quantas doses já foram rejeitadas até agora.

A recusa expõe as dificuldades de ampliar e acelerar a vacinação contra a Covid-19 no mundo, apesar da crescente oferta de vacinas. O Covax já entregou quase 1 bilhão de doses a quase 150 países até o momento, mas quase 700 milhões de doses entregues ainda não foram usadas (veja mais abaixo).

Mais de 76% da população dos países mais ricos já receberam ao menos uma dose de vacinas contra a Covid-19 e mais de 70% estão totalmente imunizados, segundo dados do “Our World in Data”. Nas nações mais pobres, são menos de 10% e 5%.

Kadilli afirmou que a principal razão para a rejeição foi a entrega de doses com prazo de validade perto do vencimento, mas os países também adiaram o recebimento de vacinas porque não têm instalações de armazenamento suficientes, incluindo a falta de geladeiras.

“Temos países que estão empurrando [o recebimento das] doses atualmente disponíveis para o segundo trimestre de 2022”, relatou a diretora do Unicef.

Vacinas entregues e não utilizadas

O Covax já entregou 989 milhões de vacinas para 144 países até o momento, segundo dados da Gavi (Aliança Mundial para Vacinas e Imunização), que cogerencia o programa junto com a OMS e a Cepi (Coalizão para Promoção de Inovações em prol da Preparação para Epidemias).

Mas dados do Unicef sobre suprimentos e vacinas entregues mostram que 681 milhões de vacinas enviadas ainda não foram usadas em cerca de 90 países mais pobres, segundo a Care, uma instituição de caridade, que extraiu os números de um banco de dados público.

Mais de 30 nações, incluindo grandes países como a República Democrática do Congo e a Nigéria, usaram menos da metade das doses que receberam até agora.

O Covax é a principal fornecedora de doses para dezenas de nações mais pobres, mas não a única. Algumas compram vacinas por conta própria, usam outros programas regionais de aquisição de imunizantes ou ainda recebem doações diretas de outros países.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *