Para evitar tragédia piloto faz pouso em Porto Velho

Para evitar tragédia piloto faz pouso em Porto Velho

O Centro de Investigação e Voltarenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) investigou um incidente com o Boeing 737 MAX-8 esta semana, depois que um dos motores do avião falhou durante o vôo.

O incidente ocorreu em uma viagem regular de passageiros entre as cidades de Brasília, no Distrito Federal, e Rio Branco, no Acre, utilizando a aeronave registrada como PR-XMC e operada pela Gol Linhas Aéreas.

O avião decolou do Aeroporto Internacional de Brasília às 20h56 (horário local), segundo banco de dados do CENIPA, com 6 tripulantes e 133 passageiros a bordo.

O 737 MAX emitiu uma indicação de ‘BYPASS DO FILTRO DE ÓLEO DO MOTOR# 1 durante o vôo de cruzeiro a 36.000 pés, de acordo com os dados de rastreamento da plataforma RadarBox, indicando que o óleo do motor estava passando pelo filtro de óleo através do canal.

Quando há algum problema com o filtro, como entupimento, o canal de desvio garante que o óleo continue a fluir pelo motor, mesmo que não seja filtrado, para evitar que os componentes internos sejam danificados por falta de lubrificação e / ou superaquecimento .

Com o aviso, os pilotos diminuíram a velocidade do motor até parar e começaram a consultar os manuais e a lista de verificação para descobrir o que estava errado.

Segundo o CENIPA, após não conseguir solucionar o problema em vôo, os pilotos foram obrigados a realizar o ‘DESLIGAMENTO DO MOTOR EM VOO’, que é o desligamento deliberado do motor nº 1 para preservá-lo.

Após o desligamento do motor, a tripulação optou por voar para o Aeroporto Internacional de Porto Velho, declarando “PAN-PAN” – uma comunicação por rádio que indica uma condição de emergência que não representava uma ameaça imediata aos humanos ou à aeronave, mas exigia atenção redobrada até que o vôo fosse concluído.

A aeronave com número de voo G3-1714 fica visível na plataforma do RadarBox até se deslocar para Porto Velho, em Rondônia, que ficava um pouco mais perto de Rio Branco.

O Boeing 737 MAX chegou ao Aeroporto Internacional de Porto Velhos às 23h01, quase 3 horas após a decolagem de Brasília. O avião chegou ao aeroporto sem incidentes e todos os passageiros.

O jato de registro PR-XMC permanece no solo em Porto Velho até a publicação deste relatório, mais de 24 horas após o pouso.

Vale ressaltar que a falha do motor nesta ocorrência nada tem a ver com o MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System), sistema que foi responsabilizado pelos dois acidentes do Boeing 737 MAX e foi modificado após a descoberta do problema.

Fonte: Mixrondonia.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *