Pesquisadores da Unir desenvolvem aplicativos para rastrear peixes da Amazônia

Pesquisadores da Unir desenvolvem aplicativos para rastrear peixes da Amazônia

Pesquisadores da Universidade Federal de Rondônia (Unir), em parceria com a ONG Ecoporé e o Laboratório de Ictiologia e Pesca, desenvolveram uma ferramenta capaz de rastrear e registrar a migração de peixes na Bacia Amazônica.

O aplicativo Ictio está disponível para o sistema Android e depois que for baixado, não precisa de internet para funcionar. Através dele, a população em geral pode contribuir para o mapeamento dos peixes da Amazônia.

Esse mapeamento pode ajudar espécies como a dourada. De acordo com integrantes do projeto, a migração desse peixe foi prejudicada pelo barramento do rio Madeira. Registros dessa espécie em diferentes pontos do rio podem fornecer informações sobre a migração, e se ela está conseguindo passar pelo sistema de transposição até o reservatório, por exemplo.

Como ajudar?

O Ictio possui uma lista com 21 espécies de peixes da Bacia Amazônica. No entanto, é possível cadastrar uma “outra espécie” caso ela seja encontrada na região. Basta seguir os passos:

  1. Baixar o aplicativo na loja do telefone Android,
  2. Fazer um cadastro preenchendo as informações solicitadas.
Catálogo de peixes do aplicativo Ictio. — Foto: Reprodução

Catálogo de peixes do aplicativo Ictio. — Foto: Reprodução

Depois de realizar o cadastro, é possível inserir dados sobre a quantidade de peixes encontrados, peso, preço de mercado, além da data e local onde eles foram avistados. Também é possível inserir fotos e vídeos dos animais.

O percurso de pesca pode ser mapeado, assim como os locais onde eles estão sendo comercializados.

Após um ano de projeto, os dados coletados no aplicativo serão apresentados aos pescadores, estudantes e demais participantes.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *