Polícia prende garota de programa por enterrar o próprio filho no fundo de casa

Polícia prende garota de programa por enterrar o próprio filho no fundo de casa

Ramira GS, de 22 anos, foi presa nesta terça-feira pela manhã no Porto de Cai N’gua, na capital de Rondônia, pela Delegacia de Polícia Civil de Rondônia Divisão Especializada na Repressão à Ação Criminal Organizada (Draco).

Ramira é mãe do bebê que foi encontrado nos fundos de uma casa na cidade de Sorriso (MT), sem os braços e pernas e havia sido enterrado em baixo de um tanque de lavar roupas. Segundo informações preliminares da Polícia Civil, que a criança tinha apenas cinco meses, sendo identificado apenas como Bryan.

No momento da prisão a mulher estava tentando fugir e se encontrava no interior de uma embarcação com destino à Manaus (AM).

A acusada disse que é garota de programa e dividia o local de residência com mais duas mulheres. Porém, segundo a polícia não existem evidências da participação de outras pessoas no crime.

Mas existem algumas suspeitas a partir de comentários feitos por Ramira, de que o brutal assassinato poderia ter sido praticado por sua namorada. Diz ainda que a criminosa teria feito uma limpeza na casa, afim de tentar ocultar vestígios do crime, devido ao desmembramento da criança.

Polícia Civil prende garota de programa por enterrar o próprio filho no fundo de casa
Polícia Civil prende garota de programa por enterrar o próprio filho no fundo de casa

Sobre o crime

Na tarde de segunda-feira (17), foi encontrado o corpo do recém-nascido debaixo de um tanque nos fundos do quintal da casa. A localização é rua Itajaí no bairro Benjamim Raiser na cidade de Sorriso, norte de Mato Grosso.

Há informações de que um cachorro da raça Pit Bull teria escavado e desenterrado o corpo do bebê. Então o animal teria arrastado os membros do corpo até a parte da frente da casa, onde uma pessoa viu por entre as grades do portão.

Em um primeiro momento a mulher que havia visto partes do corpo do recém-nascido, confessou não ter acreditado que se tratasse de uma criança. Foi então que decidiu chamar outra pessoa para auxiliar na identificação.

Disse ainda que ao aproximar foi possível sentir o mal cheiro e perceber que o corpo do bebê se encontrava inchado e sem os membros superiores e inferiores. A partir dessas conclusões, resolveram chamar a polícia para que fosse tomadas as devidas providências.

O resultado da autópsia, que revelará as causas da morte do bebê, é aguardado pela Polícia Civil. Os réus ficarão sob custódia e serão transportados para o estado de Mato Grosso.

Fonte: Mixrondonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *