Prazo é de 10 dias para que Governo explique fato de pacientes terem larvas na boca

Prazo é de 10 dias para que Governo explique fato de pacientes terem larvas na boca

Anderson Pereira (PROS), deputado estadual, solicitou esclarecimentos ao Governo de Rondônia sobre as representações feitas pelo Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren / RO) em abril deste ano.

Depois que o Coren ajuizou Ação Civil Pública na 2ª Vara Cível Federal da Seção Judiciária de Rondônia, relatando a falta de normas mínimas da legislação relativa à Enfermagem, o deputado pede esclarecimentos ao poder público na cobrança.

O conselho criticou a falta de profissionais das unidades, o que comprometeu seu estado biopsicológico, bem como o fato de os pacientes terem sido descobertos em estado deplorável durante a intubação covid-19 e a unidade ser negligência medicamentosa.

“Em uma enfermaria de até oito pacientes gravemente enfermos com covid-19, apenas dois técnicos estavam presentes. Pacientes intubados com larvas na boca foram descobertos pela equipe de fiscalização, indicando uma situação totalmente contrária à assistência e à saúde prestada às pessoas internadas naquele setor. A dignidade humana está sendo violada. De acordo com o estudo de Coren, “prescrições vencidas também foram descobertas entre os frascos a serem administrados aos pacientes”.

Prazo é de 10 dias para que Governo explique fato de pacientes terem larvas na boca
Prazo é de 10 dias para que Governo explique fato de pacientes terem larvas na boca

Como resultado, o deputado Anderson envia uma carta ao governo, solicitando uma resposta às alegações de Coren no tribunal.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) disse que não houve relatos de pacie

ntes com larvas na boca no estudo de Coren. “A administração do hospital afirma que nenhuma menção a pacientes com larvas em suas bocas foi feita no estudo Coren-RO que foi dado ao hospital, e nenhuma imagem foi apresentada”, disse Sesau.

Durante sessão da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), o deputado propôs a denúncia do conselho, que foi aceita pela diretoria. O pedido foi então encaminhado ao Governo do Estado, que tem dez dias para responder. Você será acusado de crime de improbidade administrativa caso não cumpra o prazo.

Fonte: Mixrondonia com informações do Rondoniaovivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *