Preso no Egito por assédio sexual médico brasileiro ainda atuava ilegalmente em Portugal

Preso no Egito por assédio sexual médico brasileiro ainda atuava ilegalmente em Portugal

Sem que seu diploma de medicina fosse reconhecido em Portugal, o médico Victor Sorrentino, que estava preso no Egito por assediar uma mulher muçulmana, utilizou as redes sociais para realizar consultas em Portugal. Ele cobrava até 350 euros por consulta, segundo reportagem da Folha de S. Paulo.

No entanto, o nome de Victor Sorrentino não consta da lista de especialistas autorizados a exercer a medicina em Portugal. Para exercer a medicina nos países europeus, os profissionais formados em universidades brasileiras devem passar por um exame de validação de diploma.

As reclamações sobre o exercício não autorizado da medicina têm de ser levadas a tribunal, segundo a Ordem dos Médicos.

Victor está sendo mantido em prisão no Egito após supostamente assediar uma vendedora. Ele fez um vídeo dele mesmo falando em português com uma mulher que não entendia, usando palavras de duplo sentido. Em 2014, o Egito considerou o assédio um crime. Pelo delito, ele arrisca uma pena de 6 meses a 3 anos de prisão.

Fonte: Mixrondonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *