Quadrilha é presa por manter famílias em cárcere privado para roubar casa e carros, em Porto Velho

Quadrilha é presa por manter famílias em cárcere privado para roubar casa e carros, em Porto Velho

A Polícia Civil cumpriu quatro mandados de prisão contra suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em roubos e furtos em residências de Porto Velho. A ação aconteceu por intermédio da Delegacia Especializada em Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), na quarta-feira (16).

Os homens, que já eram condenados por outros crimes, foram apresentados na delegacia. Os delegados responsáveis pelas prisões, Alessandro Morey e Rogério Alessandro, ressaltaram que os suspeitos são integrantes de um grupo criminoso.

Eles agem sempre com muita violência. Espancam as vítimas e se elas não passarem o valor solicitado por Pix, ainda as humilham. Muitos carros são levados para Bolívia, mas outros eles abandonam por aqui mesmo. Eles são apontados como autores de vários crimes de roubo e furto de residências e veículos”, comenta.

Outro ponto destacado pelo delegado é quanto a dinâmica de como os suspeitos faziam as transações dos valores, por meio do Pix.

“Se a pessoa perceber que entrou um dinheiro em sua conta, é bom verificar a procedência, pois os criminosos usam “CPF fanta” para receber o resgate. Eles abrem uma conta qualquer, com qualquer CPF para receber o dinheiro. É possível que tenha caído em contas sem relação com a organização”, diz, ressaltando que as vítimas só eram liberadas após pagamentos por Pix.

Ao g1, o delegado ainda pediu que as vítimas dos crimes de roubo e furto em residências compareçam na delegacia para reconhecer os autores. A delegacia fica localizada na rua Dr. José Adelino, 4447, bairro Costa e Silva, em Porto Velho.

Os veículos roubados tinham a Bolívia como destino, na maioria das vezes. Segundo a Polícia Civil, no país vizinho os veículos eram trocados por drogas e armas.

Além dos mandando de prisão preventiva, mandados de buscas e apreensão domiciliar foram cumpridos pela Polícia Civil.

A ação contou com o Serviço de Investigação e Capturas (Sevic), Coordenadoria de Operações Especiais (Core). Os integrantes da quadrilha foram encaminhados ao Sistema Prisional onde permanecerão à disposição da Justiça.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.