Quatro suspeitos de roubar e matar garimpeiro são presos em Porto Velho

Quatro suspeitos de roubar e matar garimpeiro são presos em Porto Velho

Quatro suspeitos de matar um garimpeiro de 57 anos foram presos na manhã desta sexta-feira (23). O crime aconteceu em janeiro deste ano. A prisão foi realizada pela Delegacia Especializada em Crimes contra o Patrimônio (Derf).

Os mandados de prisão preventiva foram cumpridos pelos policiais da Derf e os suspeitos foram encaminhados ao sistema prisional, onde permanecerão a disposição da Justiça.

O crime

O corpo da vítima foi localizado em avançado estado de decomposição em uma região de mata próximo a ponte do Rio Madeira, na BR-319 em Porto Velho, no dia 19 de janeiro de 2021. Segundo o laudo pericial, a vítima foi amarrada e executada com um tiro na nuca.

Na manhã desta sexta-feira (23) em entrevista coletiva, o delegado Vinícius Lucena informou que no início as investigações eram voltadas para um possível desaparecimento de pessoa.

“Há uma complexidade já de início porque se trabalha com a ideia de que alguém desapareceu. Quando na verdade, poucos dias depois do desaparecimento, foi encontrado um cadáver após a ponte do Rio Madeira. Diante do resultado do médico legista foi constatado que havia duas perfurações no crânio provocadas por arma de fogo”.

A namorada da vítima, que estava no momento do assalto, relatou que eles foram rendidos por três criminosos encapuzados e armados. Ela foi liberada pelos ladrões, que em seguida fugiram junto com a vítima e o veículo.

O homem, de acordo com a polícia, foi sequestrado por criminosos e teve a caminhonete roubada na capital para ser atravessada para a Bolívia. Agentes que estavam em Guajará-Mirim encontraram o veículo abandonado e atolado em uma estrada no município.

Prisões

Na manhã desta sexta-feira (23) foi anunciada a prisão preventiva de quatro suspeitos. Os mandados foram cumpridos pelos policiais da Derf.

“Eram cinco elementos, mas um dos responsáveis acabou morrendo há pouco mais de um mês em uma questão que envolvia guerra de facção. Ele acabou de se envolvendo nesse meio e foi vítima de homicídio, mas não se relaciona como retaliação ao crime de latrocínio. Ainda temos mais uma pessoa envolvida e estamos em campo para ver se consegue a captura dele”.

O inquérito foi concluído pela Derf com o envolvimento e autoria comprovada por seis suspeitos, onde um morreu, quatro estão presos e o último a Polícia Civil anunciou como foragido. Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *