Rondônia integra campanha nacional para coleta de DNA dos familiares de pessoas desaparecidas

Rondônia integra campanha nacional para coleta de DNA dos familiares de pessoas desaparecidas

Com apoio da Polícia Civil, Militar e Federal, o Governo de Rondônia promove a campanha de coleta de DNA de familiares de desaparecidos por meio da Secretaria de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) e Superintendência Técnico-Científica de Polícia ( Politec). O objetivo é agilizar o processo de busca de desaparecidos.

O projeto, que é uma iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), teve início no dia 25 de maio de 2021 e será realizado em todo o país. A data escolhida para a inauguração da Campanha comemora o Dia Internacional da Criança Desaparecida e tem como objetivo conscientizar a população sobre a gravidade da situação.

A ação consiste na coleta de amostras biológicas de familiares de pessoas desaparecidas, para análise de DNA e inclusão de perfis genéticos no Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), para posterior comparação com amostras de pessoas vivas e de corpos não identificados ou desossados admitidos nos Estados Legais Instituto Médico (IML).

Na verdade, isso implica que, se um corpo for descoberto na Bahia e seus parentes recuperarem o corpo, digamos, no Rio de Janeiro, o Banco Nacional de Perfis Genéticos confirmará a relação. Como a Rede de Bancos é membro da Federação, isso facilita.

O Instituto de DNA Criminal, órgão interno da Politec, fará a campanha em Rondônia, enquanto a Rede Integrada de Bancos de Perfil Genético a fará em âmbito nacional (Senasp).

As atividades de coleta aconteceriam de 14 a 18 de junho de 2021, de acordo com o projeto. Em Rondônia, as coletas ocorrerão nas cidades de Ariquemes, Jaru, Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura, São Miguel do Guaporé, Vilhena, Guajará-Mirim e Porto Velho nas Unidades Oficiais de Perícia Criminal.

“A inserção do Estado na Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) amplia a possibilidade de resolução de casos no Brasil, sendo uma poderosa ferramenta de identificação de desaparecidos em território nacional e internacional”, afirma Ralph da Cruz Catrinck, diretor do Instituto de DNA Criminal.

“A Superintendência tem a satisfação de fazer parte desta campanha, pois atende famílias e apoia nosso compromisso em prestar um atendimento de qualidade”, disse Domingos Sávio Oliveira, diretor-geral.

A Politec pode ser contatada pelo telefone 3216-8853 para obter mais informações por membros da família.

Fonte: Mixrondonia com informações de Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *