Rondônia passa de 1 milhão de vacinados contra a Covid com pelo menos uma dose

Rondônia passa de 1 milhão de vacinados contra a Covid com pelo menos uma dose

O estado de Rondônia ultrapassou neste fim de semana a marca de 1 milhão de doses de vacinas contra Covid-19, aplicadas nos 52 municípios desde janeiro (mês em que foi iniciada a imunização dos grupos prioritários).

Segundo dados do Painel Covid, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), até o início da manhã deste domingo (29) foram aplicadas 1.004.456 vacinas de 1ª dose no estado. Esse número corresponde a quase 80% de toda população vacinável em Rondônia, que é de 1,3 milhão de pessoas.

Já em relação a 2ª dose ou dose única, a aplicação foi feita em 387.309 pessoas (cerca de 30% da população vacinável).

Desde o início da imunização, 12 de agosto foi a data em que mais doses foram aplicadas em um único dia: 25.530.

Os dois outros dias com recorde de imunização são 24 e 25 de agosto, com, respectivamente, 22 mil doses aplicadas em um único dia.

As mulheres representam a maioria do público vacinado em Rondônia: 52,2% (cerca de 524.194 mulheres). Já entre os homens, 480.262 (47,8%) tomaram a primeira ou dose única da vacina.

Doses recebidas

Desde janeiro, o estado já recebeu 1.527.718 doses de vacina contra a Covid, sendo que a AstraZeneca foi a mais distribuída aos 52 municípios.

Ainda segundo o estado, o valor das 1,5 milhão de doses distribuídas no estado correspondem a R$ 62,4 milhões.

Dose de reforço

Na última semana, o Ministério da Saúde anunciou que a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 será oferecida no Brasil a partir de setembro, devido ao avanço da variante Delta.

A dose de reforço é indicada para os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses. No caso dos imunossuprimidos, eles devem esperar 28 dias após a segunda dose.

  • Data de início: doses devem ser enviadas aos estados a partir de 15 de setembro
  • Público-alvo: idosos com mais de 70 anos e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos)
  • Vacinas usadas na dose de reforço: preferencialmente Pfizer, mas também poderão ser utilizadas as vacinas da AstraZeneca e Janssen
  • Quem deve tomar (dos dois grupos): o reforço vale para quem tomou qualquer vacina usada na campanha de vacinação

Os pacientes “imunossuprimidos” incluem por exemplo, pessoas com câncer, pessoas vivendo com HIV, transplantados e outros com o sistema imune fragilizado, o que deixa o paciente mais suscetíveis a infecções.

A pasta informou que a imunização deverá ser feita, preferencialmente, com uma dose da Pfizer, ou de maneira alternativa, com a vacina de vetor viral da Janssen ou da AstraZeneca.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *