Rondônia registra 2.352 casos de Covid-19 entre indígenas e 46 mortes, aponta Coiab

Rondônia registra 2.352 casos de Covid-19 entre indígenas e 46 mortes, aponta Coiab

O número de indígenas com Covid-19 em Rondônia chegou a 2.352, além de 30 casos suspeitos, segundo dados da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) divulgados na quarta-feira (24).

Ainda segundo a Coiab, 46 indígenas de 17 povos diferentes morreram vítimas da doença no estado. Em toda a Amazônia brasileira, 36.259 casos de coronavírus foram registrados, atingindo 149 povos.

Casos de Covid-19 na Amazônia Brasileira

EstadosCasos registradosMortes
Acre252031
Amazonas9029304
Amapá163821
Maranhão202369
Mato Grosso4806160
Pará7043110
Rondônia235246
Roraima5635119
Tocantins121319

Fonte: COIAB

O levantamento é feito baseado em informações de lideranças indígenas, notas de falecimento da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e profissionais de saúde.

Vacinação

O avanço da vacinação é importante para conter a disseminação da doença na Amazônia. Até a quarta-feira (24), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou que em Rondônia, 5.483 indígenas foram vacinados com a primeira dose da vacina contra Covid e 2.619 tomaram também a segunda.

Neste momento, entre as principais preocupações de lideranças indígenas está a disseminação de notícias falsas. Há relatos que até movimentos religiosos, sem respaldo científico, já emitiram informações contrárias à vacinação, fazendo com que os indígenas tenham dúvidas sobre a segurança das doses e recusem tomar a vacina.

Indígenas desaldeados

A Justiça Federal determinou nesta semana, através de liminar, que a União e o governo de Rondônia incluam os indígenas desaldeados como público-alvo da primeira etapa da vacinação contra a Covid-19. A decisão ocorreu após o Ministério Público Federal (MPF) mover uma ação requerendo a imunização, ainda na fase 1, dos indígenas que vivam em áreas urbanas ou de contexto urbano no estado.

Conforme o MPF, o estado deve assegurar que a vacina esteja disponível para fornecimento, conforme quantitativo apontado pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) de Porto Velho e Vilhena (RO). As doses serão disponibilizadas aos indígenas cadastrados no Sistema de Informação da Atenção à Saúde Indígena (Siasi).

Entre os argumentos levantados na ação, está o de que muitos indígenas que estão nas cidades foram expulsos de suas terras tradicionais por invasores como grileiros, madeireiros e grileiros, por insegurança econômica, ausência ou precariedade de serviços básicos ou para trabalhar e estudar. G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *