Secretário da Sesdec-RO diz que fará reintegração em fazenda alvo de conflitos por terras em Chupinguaia

Secretário da Sesdec-RO diz que fará reintegração em fazenda alvo de conflitos por terras em Chupinguaia

O secretário de segurança de Rondônia, Hélio Cysneiros Pachá, anunciou em vídeo divulgado pelo governador Marcos Rocha que dezenas de militares foram deslocados nesta semana para fazer uma reintegração de posse em uma fazenda de Chupinguaia (RO), região sul do estado. Ainda não foi divulgada uma data para a retirada dos invasores.

No vídeo, além do chefe da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), aparecem o comandante e o sub-comandante da Polícia Militar (PM) com a tropa, na região da Fazenda Nossa Senhora Aparecida.

De acordo com o secretário, cerca de 70 PMs da tropa de choque estão na área, entre eles, cinco policiais femininas.

“Nos colocamos à disposição com todo o aparato tecnológico, administrativo e logístico da Sesdec para que nós possamos ter êxito em mais essa ação, onde as famílias a serem retiradas terão com certeza a sua integridade física preservada, os direitos humanos respeitados. Porém, junto com o judiciário, na presença do oficial de Justiça realizar essa reintegração e devolver ao legítimo dono a sua terra e iniciar daqui pra frente uma nova história na condução das reintegrações de posse em nosso estado”, declarou.

Em entrevista coletiva na última segunda-feira (29), o governo informou que não poderia agir naquele momento porque esperava uma decisão judicial para fazer a reintegração de posse.

Á Rede Amazônica, a Sesdec informou que os agentes de segurança fazem um levantamento da área e haverá tentativa de negociação para saída pacífica dos invasores.

Mais de 200 famílias na área

Segundo informou a Associação Brasileira dos Advogados do Povo Gabriel Pimenta (Abrapo), no acampamento Manoel Ribeiro há mais de 200 famílias residindo.

“Eles tomaram a fazenda Nossa Senhora Aparecida em agosto de 2020. Esta fazenda é a última parte da antiga fazenda Santa Elina, palco de uma heroica resistência ocorrida em 1995, episódio que ficou conhecido mundialmente como Massacre de Corumbiara”, diz a Abrapo em uma nota divulgada neste fim de semana.

Fazenda onde deve ocorrer a reintegração de posse em Chupinguaia — Foto: Facebook/Reprodução

Fazenda onde deve ocorrer a reintegração de posse em Chupinguaia — Foto: Facebook/Reprodução

A entidade vê com preocupação o envio de militares para a região, a fim de retirarem as famílias da área, e chamou a operação policial de “ilegal”.

“A Abrapo tem recebido diversas denuncias de abusos e violações de direitos! Mais de cem famílias, entre mulheres, crianças e idosos tem resistido a ilegal operação, operação que configura verdadeira tortura e terrorismo de Estado!”, afirma. Fonte: https://noticiageral.com – com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *