Síndrome de Burnout é considerada doença do trabalho ocupacional em 2022

Síndrome de Burnout é considerada doença do trabalho ocupacional em 2022

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a doença Síndrome de Burnout, a partir de agora. A nova classificação para esse transtorno, a CID 11. Ela passará a ser considerada doença decorrente do trabalho e passa a ser tratada de forma diferente. A síndrome de Burnout é considerada “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”.

O que é Síndrome Burnout?

Trata-se de um distúrbio emocional resultado de uma rotina de trabalho desgastante. Ela também é conhecida como síndrome do esgotamento profissional.

Entre os sintomas:

Sentimentos de exaustão ou esgotamento de energia, aumento do distanciamento mental do trabalho, sentimentos negativos relacionados ao próprio trabalho redução da eficácia profissional, sintomas como depressão, ansiedade, irritabilidade, baixa autoestima.

Como comprovar que tem a doença?

Entre os documentos necessários para dar entrada na perícia médica estão: laudo e relatório médico fundamentado, no qual o médico deverá descrever sintomas, fatores que desencadearam o problema de saúde e ainda inserir o número da CID corretamente, além da documentação pessoal e profissional. Essa avaliação deve ser feita pelo médico e psicólogo do paciente.

Eles deverão emitir os laudos detalhando o problema e informando o período de afastamento do trabalho. Com até 15 dias de ausência, o salário é mantido pela empresa. Se o período for superior a 15 dias, o trabalhador poderá dar entrada no auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Caren Bataglin da Silveira, Advogado

Caren Bataglin da Silveira PRO Especialista do Direito trabalhista

Jusbrasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *