Suspeito de matar Heavy Ney, cantor de rock, é preso 6 anos depois do crime em Porto Velho

Suspeito de matar Heavy Ney, cantor de rock, é preso 6 anos depois do crime em Porto Velho

O suspeito de matar em 2016 o cantor Ney Miranda, conhecido como Heavy Ney, foi preso na manhã desta sexta -feira (25) em uma ação da Polícia Civil em Porto Velho. Além da prisão, foram cumpridos cinco mandados de medidas cautelares na operação denominada ‘Metal’.

De acordo com a Delegacia Especializada em Crimes contra a Vida (DECCV), a motivação do crime foi uma discussão ocorrida entre as partes, sete dias antes de Ney ser morto.

“Eles discutiram por conta de uma terreno que ficava nos fundos do imóvel da vítima. Dos cinco disparos feitos pelo suspeito contra a vítima, três foram à queima roupa. A vítima morreu no local, se quer teve a chance de se levantar da cadeira em que estava”, comentou a delegada.

Heavy Ney foi morto com tiros na cabeça no dia 30 de abril de 2016, enquanto estava em um bar, localizado na avenida Amazonas, no bairro Cuniã.

O suspeito de ser o autor do crime, segundo a Polícia Civil, atirou contra a vítima enquanto ele dava uma entrevista a um historiador.

Após isso, foi pedido prisão preventiva contra o suspeito. A delegada ressalta que o homem é investigado por um outro homicídio, que aconteceu no final do anos de 2021.

“A gente tenta localizar, ainda que com o passar desse tempo, a motocicleta que foi utilizada no crime. Porque as informações no inquérito, inclusive, de que ele teria praticado um outro homicídio e teria utilizado essa moto”, afirma Leisaloma.

O suspeito preso já tem passagem no sistema policial por porte ilegal de arma.

Em coletiva de imprensa, Leisaloma chamou a atenção para a periculosidade do suspeito de homicídio.

“Esse mesmo infrator está sendo investigado em um outro homicídio. Claro que, ele tem a presunção da inocência em relação a outros crime, mas referente a este, ele teve a prisão preventiva decretada. Ele realmente precisa ser retirado do meio social”, comenta.

O nome da operação faz referência a profissão da vítima que era um ícone na cultura no rock rondoniense.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.