Unir decide retomar com as aulas presenciais a partir de abril

Unir decide retomar com as aulas presenciais a partir de abril

As aulas presenciais da Universidade Federal de Rondônia (Unir) devem ser retomadas a partir de 25 de abril. A decisão foi tomada durante reunião online entre o Conselho Superior Acadêmico e Administrativo na última quarta-feira (23). As aulas presenciais estão suspensas desde o início da pandemia no estado, em março de 2020.

Segundo o vice-reitor da universidade e presidente da comissão de combate à Covid, Juliano Cedaro, o retorno presencial está condicionado a situação da pandemia da Covid-19 em Rondônia e a fase do plano de biossegurança da Unir em que a cidade do campus está classificada.

Essa classificação é feita através de um cálculo interno da instituição, que leva em consideração a taxa de vacinação contra a Covid, média diária de internações pela doença, novos casos semanais e óbitos semanais. O funcionamento do campus acontece mediante a fase estabelecida:

  • Fase 1: 100% das atividades acadêmicas e administrativas de forma remota;
  • Fase 2: ensino híbrido e taxa de ocupação presencial nos espaços de aula em 20%, com prioridade nas atividades remotas;
  • Fase 3: atividades presenciais com 40% a 50% da ocupação presencial nos espaços de aula e alternância de pessoas presentes;
  • Fase 4: 100% das atividades presenciais liberadas, inclusive bancas, eventos, reuniões, mas sempre respeitando as normas de biossegurança.

Além disso, segundo a reitora da universidade, Marcele Pereira, o conselho acadêmico recomendou ao conselho universitário durante a reunião a adoção do passaporte vacinal para o retorno presencial. A implantação desse documento deve ser discutida em uma nova reunião, ainda sem data marcada.

Manifestações

Na manhã de quarta-feira (23), enquanto ocorria a reunião entre os conselhos acadêmico e administrativo quanto ao retorno das aulas presenciais, os alunos de cursos da saúde ocuparam a sede da universidade no centro de Porto Velho, pedindo o retorno das aulas práticas.

As graduações de enfermagem, educação física, psicologia e medicina possuem carga horária prática obrigatória para a conclusão dos semestres, em consequência, conclusão dos cursos.

g1 conversou com representantes dos acadêmicos de saúde que afirmaram não estarem conseguindo dar continuidade as aulas práticas por causa da mudança de fases, logo, não conseguem concluir os semestres. Alguns estudantes veteranos inclusive estão atrasados em mais de 3 semestres.

Sobre isto, o vice-reitor Juliano Cedaro informou que o retorno das aulas práticas deve acontecer de acordo com um planejamento semanal feito por cada departamento mediante ao cálculo interno da instituição de classificação das fases. Os estudantes de cursos da área da saúde demonstraram insegurança quanto a decisão.

“É muito inviável porque você tem que dar uma continuidade às práticas dos alunos. O que a gente queria é que as práticas dos cursos de saúde não fossem condicionadas à essa calculadora Covid, porque para você avançar no curso, você tem que cumprir essa carga horária práticas”, explicou um acadêmico.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.