Vacinação contra gripe tem menos de 20% do público-alvo alcançado em Rondônia

Vacinação contra gripe tem menos de 20% do público-alvo alcançado em Rondônia

O Governo de Rondônia, em colaboração com a Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), lançou em Rondônia a terceira fase do Plano Nacional de Imunização (PNI) para a vacina contra influenza (H1N1), que abrange todas as categorias prioritárias.

O programa de vacinação contra o H1N1 começou no dia 12 de abril e terminará no dia 9 de julho. Segundo dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI Covid), apenas 16,9% da população-alvo do estado já foi vacinada, o que corresponde a 98.995 doses. Em Rondônia, a meta é atingir 578.750 pessoas.

Segundo Eliza Ferraz, enfermeira responsável da Rede de Frio Estadual, cerca de 34,4% das gestantes foram vacinadas, o que as coloca em primeiro lugar na lista de imunizações prioritárias, embora o número correspondente ainda seja baixo.

“Infelizmente, a adesão é fraca este ano, como no ano passado, porque as pessoas estão naturalmente focadas na vacinação covid-19, e ainda há a questão de um atraso de 14 dias entre as doses da vacina covid-19 e qualquer outra vacinação no programa de imunização ”, explica.

Crianças de seis meses a cinco anos, assim como profissionais de saúde, foram priorizados na primeira fase da campanha, segundo o responsável pela rede de frio do estado. Os idosos e instrutores foram incluídos no plano de imunização na segunda fase, que ocorreu em maio.

A terceira fase, que teve início no dia 9, tem como foco os demais grupos prioritários com comorbidades. “Todos os grupos prioritários da campanha podem estar em busca da vacina nas unidades de saúde. É importante ficar atento ao horário de funcionamento da unidade mais próxima ”, recomenda.

Nesse caso, devem procurar as seguintes unidades: crianças de 6 meses a 5 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), idosos com mais de 60 anos, gestantes, puérperas (45 dias pós-parto), pessoas com doenças crônicas, caminhoneiros, transportadores (coletivos, rodoviários e portuários), seguranças e socorristas, forças armadas e professores.

COVID-19 X H1N1

É vital observar que os pacientes que tomaram covid-19 devem esperar pelo menos 14 dias após a recuperação antes de receber a vacina contra o H1N1. O ideal é que o imunizante seja administrado sem causar sintomas, principalmente no caso de gripe.

“Já que a vacina é dada a pessoas saudáveis, seria fascinante postergá-la se houver algum sintoma, como febre ou resfriado”, continua a enfermeira, “porque a vacinação, por mais maravilhosa que seja, sempre será induzir uma reação que pode ou não ser moderada. ”

Fonte:Mixrondonia.com com informações de Assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *