Vídeo da Fiocruz foi manipulado digitalmente para mostrar pênis e tapete de Che Guevara?

Vídeo da Fiocruz foi manipulado digitalmente para mostrar pênis e tapete de Che Guevara?

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o Castelo Mourisco da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Nele, é possível ver um pênis na entrada do edifício, um tapete do Che Guevara na escada e quadros apoiando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março de 2018. O vídeo é narrado pela secretária da Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, que criticou a instituição, afirmando que “tudo deles envolve LGBTI” . Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Isso é a FIOCRUZ”
Legenda de vídeo publicado no Twitter

FALSO

A informação é falsa. O vídeo analisado pela Lupa foi editado digitalmente para que aparecessem elementos que não estão presentes na sua versão original, publicada em julho de 2018 pelo jornal O Globo no YouTube. Essa gravação tinha como objetivo mostrar o castelo da Fiocruz, localizado no Rio de Janeiro. Nas imagens reais, não há um pênis na entrada do local, nem quadros e tapetes com o rosto de políticos como o guerrilheiro Che Guevara ou o ex-presidente Lula. Todos esses itens foram incluídos posteriormente no vídeo por meio de um software de edição. 

Comparando as duas gravações, é possível visualizar o momento em que as imagens passaram a ser alteradas. No vídeo editado, uma das primeiras cenas mostra um pênis na entrada do castelo. Contudo, na imagem original, é possível ver um busto em homenagem a Oswaldo Cruz, que foi construído em bronze e inaugurado em 2005.  

A próxima imagem do vídeo editado mostra os corredores do castelo e uma escadaria que supostamente estaria com um tapete com o rosto de Che Guevara. Contudo, no original é possível ver que não há esse tapete. Na realidade, o vídeo chama atenção para a escadaria que tem 101 degraus e é utilizada para acessar os andares do prédio.  

Os quadros de Lula e Marielle que aparecem também foram incluídos digitalmente. O vídeo original mostra que a parede é decorada com diplomas e certificados. 

Áudio

O áudio que circula junto com o vídeo foi divulgado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) durante o depoimento da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, em maio deste ano, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. Na gravação, Mayra aparece criticando a Fiocruz. Ela diz que a fundação tem um pênis na porta, além de tapetes com a imagem de Che Guevara e placas de Marielle Vive, em homenagem à vereadora Marielle Franco. Uma reportagem da Folha de S.Paulo mostrou que um pênis inflável existiu e foi usado durante uma campanha sobre HIV na fundação.

Origem

O vídeo editado foi feito pelo professor de matemática Gabriel Benício, que publicou a gravação em maio deste ano em seu TikTok. Procurado, ele esclareceu que se tratava de uma sátira. “Eu editei o vídeo para servir de auxílio visual para as loucuras que ela disse nesse áudio”, contou. É possível ver que a própria legenda do vídeo publicado por Gabriel em maio demonstra indignação com a fala de Mayra Pinheiro. Ele escreveu:“Parece zoeira, mas é um áudio da Secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde”. Nesta semana, usuários nas redes sociais pegaram o vídeo feito por Gabriel, removeram qualquer indício de sátira e passaram a compartilhar como se fosse real.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa.

Fonte: https://noticiageral.com – com informações de Lupa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *