Visitas sociais tem novas regras anunciadas pelo Governo para retomada gradual

Visitas sociais tem novas regras anunciadas pelo Governo para retomada gradual

O Governo de Rondônia revisou por meio da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), o Plano de Reinício Gradual de Visitas Sociais em diferentes organizações da área penal do estado.

Os requerentes do ato são obrigados a cumprir uma série de medidas restritivas e processos processuais no conteúdo do documento, a fim de cumprir a rotina de visitas as pessoas detidas.

A volta à prática é permitida por modificações no quadro epidemiológico estadual existente, tendo em vista o declínio da contaminação por coronavírus e do número de óbitos.

Diretrizes estabelecidas pelo Plano de Enfrentamento

O ingresso nas prisões estará sujeito exclusivamente às Diretrizes do Plano de Contingência Estadual para o enfrentamento do vírus, como máscaras de segurança, higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%, desde que a barreira social permaneça em 120 centímetros. O bem-estar será priorizado por todos os visitantes e custodiados.

Apenas um visitante por preso tem permissão para acessar a prisão para continuar esta medida. No mesmo texto, e embora se encontrem na portaria, deve ser avisado que é proibida a entrada de crianças, grávidas, doentes, pessoas da comunidade de alto risco e com alimentação para priorizar a saúde e o bem-estar de todas as pessoas.

Quaisquer protocolos administrativos para entrada em estabelecimentos prisionais são definidos nos artigos 9 e 10 dos regulamentos. O público em geral deve ser informado de que estas operações serão retomadas a partir de 17 de junho de 2021.

Célio Luiz de Lima, diretor da Coordenação do Sistema Penitenciário (Cogespen), afirmou que toda a forma de retomada das visitas sociais é ditada pela autoridade sanitária, e que apenas algumas instituições criminais serão abertas por esse motivo a princípio. “Ainda estamos preocupados com a saúde dos profissionais da justiça criminal, pois alguns desses policiais já foram vacinados contra o covid-19”.

Célio ressalta que o plano de tratamento será atualizado como parte da operação programada para outubro de 2020. Devido à rápida disseminação do coronavírus em Rondônia, os planos de visitas de liberação dos presos tiveram que ser interrompidos.

Apenas as instituições identificadas por níveis de risco de infecção por coronavírus, são gradualmente reabertas para visitas sociais. Para tanto, está sendo minuciosamente examinada a saúde dos espaços de acolhimento disponíveis em cada unidade prisional.

Especificamente, caberia à unidade capacitada a realizar a prática fiscalizar as medidas de proteção de combate ao vírus descritas acima para quem quiser visitar o local.

O descumprimento das normas sanitárias está sujeito a punições

Havendo desobediência aos critérios de saúde adotados, isso acarretará em penalidades disciplinares às pessoas privadas de liberdade, bem como na suspensão do direito dos participantes de realização de visita social.

Essa Portaria cria 25 instituições correcionais para fins de visitação nas três áreas prisionais do Estado: hospitais, penitenciárias, centros de detenção e cadeias públicas.

No entanto, certas disposições estão especificadas no manual legal para estadias de hóspedes que não podem exceder 60 minutos (1 hora), e o horário deve ser agendado entre as 8h00 e as 16h00, de quinta a sábado.

Dependendo das instalações das áreas destinadas à sua aceitação, seriam permitidos de oito a dez participantes por vez. “A visita íntima é proibida”, de acordo com o artigo 5º das diretrizes do Capítulo I para a retomada da visitação social.

Outro ponto levantado na Portaria são os métodos de manejo para evitar aglomerações em estabelecimentos correcionais, que podem contribuir para a disseminação do vírus causador do covid-19.

O gerente da unidade é responsável por fazer cumprir a cota de dez visitantes para cada ala da prisão ou centro de detenção. Caso o quadro epidemiológico do Estado de Rondônia mude, a comunidade será notificada de uma possível reforma nas regras ou suspensão temporária dessa operação, segundo Sejus.

Fonte: Mixrondonia com informações de Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *