Zelensky visita Bucha após massacre e acusa Rússia de genocídio

Zelensky visita Bucha após massacre e acusa Rússia de genocídio

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, visitou a cidade de Bucha nesta segunda-feira (4), dois dias após a divulgação mundial de imagens com corpos mortos no chão, valas comuns e rastros de destruição.

Após um longo período no centro de Kiev, capital do país, Zelensky deixou brevemente a cidade para visitar Bucha. Após a visita ele disse que o massacre irá atrasar o processo de negociação de paz com a Rússia.

“Estes são crimes de guerra e serão reconhecidos pelo mundo como genocídio”, disse ele.

O Kremlin negou quaisquer acusações relacionadas ao assassinato de civis.

“Queremos mostrar pro mundo o que a Rússia fez. Queremos que vejam o que a federação russa fez com a pacífica Ucrânia. Tem que ser mostrado que eram todos civis”, disse Zelensky para jornalistas.

Repercussão

Após a divulgação das imagens do ataque, alguns representantes falaram por seus países.

O presidente americano Joe Biden pediu um julgamento por crimes de guerra contra o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e disse que buscaria mais sanções após relatos de atrocidades na Ucrânia.

“Vocês viram o que aconteceu em Bucha. Ele é um criminoso de guerra”, disse Biden a jornalistas

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse que será necessária uma nova rodada de sanções à Rússia depois do ataque a civis na cidade ucraniana de Bucha.

“Há pistas muito claras que apontam para crimes de guerra. Está mais ou menos estabelecido que o exército russo é responsável. O que aconteceu em Bucha exige uma nova rodada de sanções e medidas muito claras”, disse Macron para a rádio France Inter.

Para o presidente francês, as novas sanções devem visar atingir o carvão e o petróleo russo.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, disse que a União Europeia está pronta e disponível para enviar equipes de investigação para a Ucrânia a fim de documentar crimes de guerra russos e crimes contra a humanidade.

O ministro das relações exteriores da Ucrânia, Dmitri Kuleba, disse que as imagens do ataque em Bucha são apenas a ponta do iceberg e que novos casos semelhantes serão encontrados quando outras cidades forem reconquistadas.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.